08/12/2020  às 11hs51 - Atualizado em 08/12/2020  às 14hs28

Esportes

08/12 - Especial Mahicon Librelato: entrevista com o preparador físico e ex-atleta, Cleber Orleans


Em pé: Luciano, Juliano, David, Edinho, Roberto e Robson. Agachados: Jéferson Feijão, Mahicon Librelato, Paulo César, Alonso e Cleber - Foto: Divulgação

Em pé: Luciano, Juliano, David, Edinho, Roberto e Robson. Agachados: Jéferson Feijão, Mahicon Librelato, Paulo César, Alonso e Cleber - Foto: Divulgação


Mahicon Librelato é um dos orleanenses mais honrosos. Aos que tiveram o privilégio de conhecer e conviver com ele, um fato é unanimidade: seu brilho não se restringia aos campos. O jovem prodígio era um ser humano excepcional. Além do talento fora da curva, a humildade e o sorriso sempre presente no rosto do atleta também eram dignos de nota.


A Rádio Guarujá realiza uma série de entrevistas visando prestar uma homenagem ao "filho de dona Maurina", como era carinhosamente chamado. Mahicon faleceu precocemente, há 18 anos, em 28 de novembro de 2002, com 21 anos de idade. Se vivo, hoje teria 39 anos e, sem dúvidas, caso fosse seu desejo, já teria feito história no futebol internacional e defendido a Seleção Brasileira em Copas do Mundo e Olimpíadas. O entrevistado desta terça-feira, dia 8, foi o preparador físico infantil do Criciúma Esporte Clube, Cleber José Medeiros, mais conhecido por Cleber Orleans. Ambos são naturais da Cidade das Colinas e se conheceram e jogaram futebol juntos desde a infância.


"Dentro de campo, todos puderam ver o que ele fez. Mas, fora do futebol, ele era um cara extraordinário como amigo. Ele me incentivou, na época, a fazer Educação Física. Nós fizemos pré-vestibular e faculdade juntos. Ele era um cara muito estudioso e incentiva os colegas. Hoje eu posso dizer que, se eu me formei em Educação Física, sou pós-graduado e trabalho na área de treinamento, um pouco foi por incentivo dele. Era um cara de coração grande, que ajudava as pessoas. Era humilde. Para ele, ter R$ 1 era o mesmo que ter R$ 100 ou R$ 1.000. Além do jogador que todos conhecem, ele também tinha um coração grande. Se fosse para descrever ele em uma palavra, seria extraordinário", contou.


Confira a entrevista completa neste link!


08/12/2020  às 11hs51