Janaina Alberton

Olá, meu nome é Janaina Veronezi Alberton, filha de agricultores, fato do qual me orgulho muito. Sou formada em Engenharia Agronômica pela Universidade Estadual de Santa Catarina-UDESC. Tenho pós-graduação em Gestão Ambiental e Mestrado em Ciências do Solo. Trabalho no Centro Universitário Barriga Verde-UNIBAVE na coordenação do curso de Agronomia.

Amo o cheiro dos campos, das plantações, da terra, e é por isso que estou sempre antenada ao que está acontecendo no meio rural. Me acompanhe aqui no Ligado no Sul e fique por dentro de tudo o que está acontecendo nesse meio tão inconstante e surpreendente!!

03/09/2014  às 00hs56

A agricultura em Santa Catarina

Atividade colaborou diretamente para o desenvolvimento do Estado


Foto: Divulgação/Internet

Foto: Divulgação/Internet

Para dar início a nossa coluna semanal sobre agricultura, acredito ser de extrema importância explanarmos um pouco da história desta atividade que tanto colaborou para o desenvolvimento de Santa Catarina.

Já dizia o senador e ex-governador Luiz Henrique da Silveira “a história da agricultura catarinense se divide em dois períodos, o antes e o depois da extensão rural”. Sobre o período que se antecede a este fato, o que podemos citar é que a agricultura era pouco desenvolvida, com pouca ou nenhuma tecnologia, em que para otimizar a produção se aumentava os números de hectaresutilizados.  Já o segundo período, tem como característica grandes transformações relacionadas à elevação da produtividade das terras, das plantas e animais, em que se produz mais em menores quantidades de terra. A história completa sobre o passo a passo desta evolução pode ser encontrada no livro “Agricultura Catarinense - Em busca do equilíbrio ecológico”, de Glauco Olinger. 

Em 1956, Santa Catarina, criou o Escritório Técnico de Agricultura (ETA) – Projeto 17, com a atribuição de executar os serviços da extensão rural no Estado. No ano seguinte, em 9 de junho de 1957, a extensão rural passou a ser executada pela Associação de Crédito e Assistência Rural de Santa Catarina - ACARESC, uma entidade civil sem fins lucrativos, de direito jurídico privado.Com isso, veio o crédito rural, e com a correta utilização deste, aliado a assistência técnica, econômica e social, se propiciou as condições de expansão e tecnificação para a agricultura catarinense. E hoje a sua  agricultura se destaca no cenário nacional.

Atualmente, Santa Catarina representa a região na qual acontece a maior produção de uvas e vinho tinto do Brasil. As frutas aqui produzidas dão vida aos melhores vinhos que podem ser encontrados em terras nacionais. De forma prática, acontece exportação não apenas para outras regiões do país, como também ao redor do mundo. Outra cultura que merece destaque é a do tabaco, que apresenta uma importância fundamental em termos de agricultura na região sulista. Para muitas famílias, esta cultura representou a ascensão social, e para muitas cidades do nosso estado, a mesma trouxe inovação tecnológica e desenvolvimento. O milho e o feijão também estão no patamar das culturas amplamente utilizadas, sendo geralmente plantados após a colheita do fumo, aproveitando a matéria orgânica deixada por esta cultura e ocasionando a diversificação nas pequenas propriedades. Também se encontra aqui a soja. Aliás, você sabia que os catarinenses foram primeiros a exportar em grandes quantidades? Esta cultura, além de apresentar um custo de produção não muito alto, permite semear uma segunda cultura na mesma área, como por exemplo, o trigo. Outras culturas ainda não citadas, também apresentam grande importância para economia agrícola, como a fruticultura em geral, o arroz, a mandioca, entre outros, mostrando a ampla diversidade de produtos que podem ser cultivados no Estado, representando um ponto indispensável para o desenvolvimento econômico local.

Enfim, a agricultura em Santa Catarina se relaciona de forma principal com a cultura da família e de pequenos agricultores. É a principal renda de populações que vivem nesta região, bem como em todo o Sul do Brasil, ao contrário do Sudeste, por exemplo, que tem a maior concentração de renda nos centros industriais ao ponto de atrair trabalhadores de outros estados e países. Representa uma parcela significativa do desenvolvimento de nossa região e deve ser tratada com respeito e importância devida, afinal, você já se alimentou hoje? Se a resposta for sim, então agradeça ao produtor rural.


03/09/2014  às 00hs56