Janaina Alberton

Olá, meu nome é Janaina Veronezi Alberton, filha de agricultores, fato do qual me orgulho muito. Sou formada em Engenharia Agronômica pela Universidade Estadual de Santa Catarina-UDESC. Tenho pós-graduação em Gestão Ambiental e Mestrado em Ciências do Solo. Trabalho no Centro Universitário Barriga Verde-UNIBAVE na coordenação do curso de Agronomia.

Amo o cheiro dos campos, das plantações, da terra, e é por isso que estou sempre antenada ao que está acontecendo no meio rural. Me acompanhe aqui no Ligado no Sul e fique por dentro de tudo o que está acontecendo nesse meio tão inconstante e surpreendente!!

11/12/2015  às 09hs55

A Batata Doce


Foto: Fernando Martinez/AE

Foto: Fernando Martinez/AE

Que nunca comeu uma batata doce? Cozida, assada, frita, como doce, de qualquer forma ela é ótima... Ela é uma cultura com alto potencial para o uso na agricultura a familiar, pois apresenta baixo custo de produção, boa rusticidade do cultivo, um alto potencial produtivo além do seu valor alimentício.

A batata-doce é cultivada em 111 países, sendo que aproximadamente 90% da produção é obtida na Ásia, apenas 5% na África e 5% no restante do mundo. Apenas 2% da produção estão em países industrializados como os Estados Unidos e Japão. A China é o país que mais produz, com 100 milhões de toneladas (WOOLFE, 1992; FAO, 2001). Em termos de volume de produção mundial, a cultura ocupa o sétimo lugar, mas é a décima quinta em valor da produção, o que indica ser universalmente uma cultura de baixo custo de produção (EMBRAPA, 2007).

No Brasil são produzidos em torno de 78 mil hectares de terra de batata doce. A região sul representa 54% do total do país. Em primeiro lugar está o Rio Grande do sul, com 22 mil há, com rendimento médio de 9,6 ton/ha, um rendimento baixo quando comparado com Santa Catarina, que produz em torno de 14,7 ton/ (EMBRAPA, 2007).

Em Santa Catarina, a maioria das propriedades agrícolas que produzem esta cultura são caracterizadas como familiares, ou seja, mantém a estrutura de trabalho envolvendo apenas mão-de-obra dos membros da família, utilizando a batata-doce como uma cultura de subsistência.

Para o plantio da batata doce, o produtor tem três opções para obtenção de mudas: - promovendo a brotação de batatas selecionadas, utilizando-se posteriormente estas brotações inteiras, denominadas de mudas, ou segmentadas, denominadas de ramas-semente; - retirando ramas-semente ou estacas de uma cultura em desenvolvimento ou - cultivando-se uma área como viveiro de mudas.

Quanto a temperatura a batata-doce se desenvolve melhor em locais ou épocas em que a temperatura média é superior a 24 ºC. Quando a temperatura é inferior a 10 ºC, o crescimento da planta diminui muito. A batata doce não é tolerante a geadas, por isso deve ser cultivada aqui na nossa região (Regiões temperadas), nos períodos da primavera e verão, quando a temperatura é mais alta, com alta radiação solar, favorecendo o desenvolvimento da cultura.

O regime pluvial, a chuva, deve ser em média de 750 a 1000 mm por ano, sendo necessários durante o ciclo de desenvolvimento da batata uns 500 mm.

Na primeira semana após o plantio, não pode faltar água, porque as ramas-semente não possuem ainda sistema radicular para explorar umidade contida em camadas inferiores do solo. Por isso é bom realizar irrigação caso não haja chuva,  O solo deve ser preferencialmente arenoso, bem drenado, sem presença de alumínio tóxico, com pH ligeiramente ácido e com alta fertilidade natural. Solos arenosos facilitam o crescimento lateral das raízes, evitando a formação de batatas tortas ou dobradas. Além disso, facilita a colheita, permitindo o arranquio das batatas com menor índice de danos e menor esforço físico.

Como a batata apresenta a tendência de desenvolver sarna que é uma bacteriose causada por Streptomyces spp, os solos ácidos, com pH entre 4,5 e 5,5 podem ser um poderoso aliado. Mas cuidado, se o solo estiver muito ácido, com o pH muito baixo  geralmente têm também níveis elevados de alumínio solúveis, o que é prejudicial ao desenvolvimento das plantas. Por isso, faça uma análise química do solo e procure um engenheiro agrônomo para verificar a necessidade de correção da acidez.

A batata-doce não apresenta um ponto específico de colheita. O momento de colheita é definido pelo tamanho ou peso das raízes, que devem ter aproximadamente 300g. Dependendo das oportunidades de comercialização, pode-se antecipar ou retardar a colheita da batata doce. No entanto, se adiantar pode haver a colheita de raízes menores e o atraso pode causar danos por insetos e deixar a raiz deformada, por isso se deve analisar bem as oportunidades, verificar se o atraso ou adiantamento da colheita será vantajoso. Em condições ideais de cultivo, a colheita pode se iniciar aos 90 dias, mas em geral, a colheita ocorre entre 120 e 150 dias.

Bom, em resumo geral se pode afirmar que:

-A batata doce é de fácil cultivo – Embora existam diversas técnicas aplicadas desde o preparo do solo até o processamento pós-colheita, a cultura pode ser conduzida de forma rudimentar, sem utilização de fertilizantes, agrotóxicos ou irrigação.

-Apresenta baixo custo de produção – Ao se comparar com diversas outras hortaliças, a batata-doce demanda menos fertilizantes, irrigação e mão-de-obra, o que resulta em baixo custo relativo de produção.

-Apresenta resistência a pragas e doenças

-É mecanizável – Apesar de ser uma atividade que geralmente consome grande quantidade de mão-de-obra, o uso de serviços mecanizados reduz o custo de produção e aumenta a possibilidade de lucro para o produtor.

-É protetora do solo – Como ela é instalada em camalhões ou leiras que devem ser construídas em nível, forma um eficiente sistema de controle da erosão, podendo portanto ocupar áreas marginais e de topografia acidentada.

Bom pessoal, esta ai mais uma oportunidade de cultivo no nosso meio rural. Precisamos sempre de alternativas, mas além disso, também precisamos de boa vontade para modificar. 


11/12/2015  às 09hs55