15/05/2017  às 14hs29 - Atualizado em 18/05/2017  às 14hs24

Geral

Adestramento e comportamentos de cães dependem mais do dono do que do adestrador

Especialistas afirmam que atitudes do dono são fundamentais na hora de regrar as atitudes e atividades do pet


Foto:  Dog Hills Adestramento

Foto: Dog Hills Adestramento

O significado de família tem mudado a cada ano. Para muitas pessoas, hoje, um lar é formado por pais e animais de estimação. Entre gatos, cachorros e até passarinhos, o símbolo e família tem ganhado uma amplitude ainda maior. Entretanto, a proporção de amor e carinho é sempre a mesma.

No entanto com um “bichinho” dentro de casa, as regras e exigências tornam-se mais visíveis e frequentes e um dos métodos que tem se mostrado mais eficiente na hora que controlar os costumes e comportamentos do animal é o adestramento.

Na manhã de hoje, a adestradora da Dog Hills Adestramento de Câes, Bianca Bianco, deu uma entrevista à Rádio Guarujá onde falou sobre o assunto e comentou que hoje um cão adestrado pode mudar completamente o convívio entre a família. “Tanto o adestramento quanto o acompanhamento de psicologia canina são capaz de alterar os comportamentos do animal. É interessante que o dono saiba em que pontos deseja trabalhar esses ensinamentos”, afirmou a adestradora.

Bianca, que também é especialista em psicologia canina, disse que existem diferenças em adestrar e fazer um acompanhamento psicológico. “No adestramento você ensina comandos ao seu cão, que serão gratificados posteriormente. Trabalhando o psicológico nós conseguimos mudar o comportamento dele dentro do convívio familiar”, completou. Entretanto, a principal regra para se ter êxito no acompanhamento de melhora do cão são as atitudes do seu dono.  “Não adianta, se o dono não aplicar corretamente os comandos ou as regras de convívio, se ele não aprender a mandar, o cão não vai obedecer”, disse.

Bruna Bianco, que também e integrante da Dog Hills e especialista em psicologia canina, comentou que não há uma idade ou uma raça indicada para o adestramento. “Todo animal pode ser adestrado, desde que tenha saúde. O interessante é apenas distinguir que tipo de animal você precisa. Se for um animal para proteção por exemplo, precisa ser um animal grande e que tenha força. Mas, o adestramento é válido para qualquer um, desde que em bom estado de saúde”,  explicou.

As indicações de adestramento podem variar de acordo com as intenções do dono. Segundo Bianca, comportamentos como “alimentação, sono, passeio, convívio, receptividade e brincadeiras” podem ser controlados e corrigidos de acordo com as atitudes impostas pelo adestrador e pelo tutor do animal.

O adestramento pode levar em média dois meses, mas sempre vai depender do dono “as atitudes do dono são suma importância”, disse Evandro dos Santos, integrante Dog Hills. "Nós ensiamos os comandos, como gratificar o cão, o tom de voz que se deve usar em cada situação e outras orientações, mas o sucesso vai depender da aplicação do dono", completou.

O primeiro passo é agendar a consulta do seu pet e avaliar quais são as prioridades no convívo. A Dog Hills, de Orleans, atende toda a região. 

Elariana Fernandes

Ouça a entrevista completa: 


Áudios

15/05/2017  às 14hs29