10/05/2019  às 14hs09

Saúde

Após morte por raiva, vacinação é intensificada em três municípios da região

O esquema de vacinação iniciou nesta quinta-feira, dia 9, com 10 mil doses de vacina antirrábica disponibilizadas para imunização de cães e gatos.


A previsão é que a ação ocorra pelos próximos 15 dias, passando por 15 bairros das três cidades – Foto: Divulgação / ASCOM PMG

A previsão é que a ação ocorra pelos próximos 15 dias, passando por 15 bairros das três cidades – Foto: Divulgação / ASCOM PMG


Após a confirmação de raiva para o óbito de uma mulher de 58 anos, residente em área rural do município de Gravatal, ocorrido no último sábado, dia 4, cães e gatos do município, e também de Capivari de Baixo e Pescaria Brava, estão sendo imunizados. A estimativa é que a ação, que iniciou na manhã desta quinta-feira, dia 9, ocorra pelos próximos 15 dias, passando por 15 bairros das três cidades.


Foram disponibilizadas 10 mil doses de vacina antirrábica. De acordo com a Diretoria de Vigilância Epidemiológica de Santa Catarina (Dive), os animais precisam ser vacinados, pois esta é a forma mais eficaz de proteção contra a doença. As equipes da vigilância epidemiológica estão indo até as casas das pessoas para realizar a imunização dos animais. Em Gravatal, os bairros onde a vacinação vai ocorrer são Ilhota Grande, Indaial, Indaial de Baixo, Indaial de Cima e Várzea das Canoas.


As ações envolvem a vacinação dos animais em um raio de cinco quilômetros a partir da residência da paciente, bem como busca ativa de animais doentes e mortos e orientação à população. “Além disso, se a pessoa for agredida por um cão ou qualquer outro animal, é muito importante que procure um serviço de saúde mesmo se o ferimento não for grave, pois pode haver a necessidade de tomar a vacina contra a raiva", afirma João Fuck, gerente de Zoonoses da Dive.


A população de Gravatal e Capivari de Baixo podem procurar por informações mais detalhadas sobre a ação diretamente na Secretaria Municipal de Saúde. Segundo a médica veterinária da Dive, Alexandra Schlickmann Pereira, a população deve ficar atenta ao comportamento estranho dos seus animais de estimação. “Qualquer alteração de comportamento como inquietação, aumento de agressividade, paralisias dos membros e fotofobia (medo da luz) deve ser observada e comunicada para a Secretaria Municipal de Saúde”, alerta.


Raiva humana


A raiva é uma doença transmissível que atinge mamíferos como cães, gatos, bois, cavalos, macacos, morcegos e também o homem, quando a saliva do animal infectado entra em contato com a pele ou mucosa por meio de mordida, arranhão ou lambedura do animal. O vírus ataca o sistema nervoso central, levando à morte após pouco tempo de evolução. A raiva não tem cura estabelecida (há apenas três casos de cura conhecidos no mundo, um deles no Brasil) e a única forma de prevenção é por meio da vacina.


ASCOM PMG / Dive


10/05/2019  às 14hs09