Janaina Alberton

Olá, meu nome é Janaina Veronezi Alberton, filha de agricultores, fato do qual me orgulho muito. Sou formada em Engenharia Agronômica pela Universidade Estadual de Santa Catarina-UDESC. Tenho pós-graduação em Gestão Ambiental e Mestrado em Ciências do Solo. Trabalho no Centro Universitário Barriga Verde-UNIBAVE na coordenação do curso de Agronomia.

Amo o cheiro dos campos, das plantações, da terra, e é por isso que estou sempre antenada ao que está acontecendo no meio rural. Me acompanhe aqui no Ligado no Sul e fique por dentro de tudo o que está acontecendo nesse meio tão inconstante e surpreendente!!

22/07/2016  às 10hs24

Aquaponia: uma alternativa sustentável de produção


Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

Aquaponia não é um assunto relativamente comum do nosso dia a dia, até porque, não faz tanto tempo assim que esta prática é desenvolvida.  É uma modalidade de cultivo de alimentos que engloba a integração entre a aquicultura e a hidroponia em sistemas de recirculação de água e nutrientes.

Trata-se de um sistema fechado, o qual existe uma intensa inter-relação entre o resíduo do peixe e o vegetal em cada um dos dispositivos. O modelo de aquaponia formado basicamente por três dispositivos, sistema de produção de peixe em fluxo contínuo, sistema de biofiltro e hidroponia. Esse sistema é implantado com recirculação de água e, nesse caso, a água efluente das unidades de produção deve ser tratada, pelo biofitro para retirada de resíduos sólidos e de nutrientes dissolvidos.

Em seguida, irrigam-se as plantas antes de retornar ao tanque. Cada projeto tem características próprias tornando-se a produção de peixes caracterizados basicamente, pelo manejo implementado, tipo de alimentação e a produtividade alcançada.

O objetivo final desta atividade é reduzir o consumo da água e tratar o efluente da piscicultura, reaproveitando os nutrientes para o crescimento de vegetais. Na maioria dos sistemas de aquaponia tem se utilizado o sistema de recirculação, o que permite a diminuição do consumo de água com uso de tanques coletores para os residuos. A troca de água em sistemas aquapônicos fechados é de apenas 2%, e os nutrientes dissolvidos oriundos do metabolismo dos peixes se acumulam em concentrações semelhantes às soluções nutritivas do sistema hidropônico (RAKOCY et al., 2006).

A otimização por espaços e recursos naturais levam ao desenvolvimento de sistemas integrados de produção. A integração entre dois sistemas de cultivo, a aquicultura com a hidroponia (aquaponia) pode apresentar-se como uma solução para proporcionar o uso da água mais eficiente, incrementando a produção de peixes e vegetais sem aumentar o consumo de água, evitando o despejo do efluente da aquicultura em corpos d’água a jusante e fornecendo um fertilizante natural para a planta de cultivo (MARISCALLAGARDA et al., 2012).

Outro fator crucial, é que a aquaponia apresenta potencial para estimular a agricultura familiar no perímetro urbano, uma vez que pode ser realizada em espaços reduzidos, como cinturões verdes, quintais e varandas de casas populares. Assim nesse contexto, estimulando o desenvolvimento tecnológico dos métodos de aquaponia a preços acessíveis observados as normas de controle sanitário vigentes, é possível que se ampliem as oportunidades de inclusão produtiva para famílias hipossuficientes, que podem ofertar o excedente de sua produção nos mercados próximos a suas residências, dinamizando a economia em regiões de baixa renda (PINTO, 2015).

Sendo assim, a aquaponia é um sistema único, ainda pouco utilizado e difundido, em que as universidades ainda se encontram estudando, mas que pode ser o pontapé inicial para mais um sistema sustentável e lucrativo.


 


22/07/2016  às 10hs24