01/07/2020  às 11hs19

Geral

Ciclone se afasta em direção ao Atlântico, mas ainda pode produzir rajadas de até 80 km/h

Alerta é do meteorologista Clovis Corrêa, da Epagri/Ciram.


Foto: Imagem de satélite da Epagri/Ciram

Foto: Imagem de satélite da Epagri/Ciram


O ciclone extratropical que atingiu Santa Catarina segue ativo, mas já se encontra em alto mar. Apesar disso, ainda há possibilidade de rajadas de vento ao longo do dia no Estado, em especial na região Sul, nas áreas litorâneas e no Planalto Serrano. O alerta é do meteorologista Clovis Corrêa, da Epagri/Ciram.


“Temos também a chegada de uma massa de ar frio, o que provoca instabilidades ao longo da região mais próxima ao Rio Grande do Sul. Teremos rajadas de vento ao longo do dia, porém a situação vai se estabilizando a partir desta quinta-feira”,  diz o meteorologista.


As rajadas de vento nesta quarta-feira, 1º de julho, podem atingir ocasionalmente até os 80 km/h. As equipes do Corpo de Bombeiros, da Defesa Civil e da Celesc estão nas ruas para atender as ocorrências relacionadas ao evento climático.


Como pedir ajuda


Em caso de ocorrências, ligue 199 ou 193.


 


Confira as orientações da Defesa Civil


O que eu posso fazer antes da ocorrência do vendaval?


Revise a resistência de sua casa, principalmente o madeiramento de apoio do telhado;


Desligue os aparelhos elétricos e o gás;


Abaixe para o piso todos os objetos que possam cair.


 


E depois da ocorrência do vendaval, o que posso fazer?


Ajude na limpeza e recuperação da área onde se encontra, começando pela desobstrução das ruas e outras vias;


Ajude seus vizinhos que foram atingidos;


Evite o contato com cabos ou redes elétricas caídas. Avise a Defesa Civil ou Bombeiros sobre estes perigos;


Procure não utilizar serviços hospitalares, de comunicações, a não ser que necessite realmente. Deixe estes serviços para os casos de emergência.


 


Danos


Derrubam árvores e causam danos às plantações;


Derrubam a fiação e provocam interrupções no fornecimento de energia elétrica e nas comunicações telefônicas;


Provocam enxurradas e alagamentos;


Produzem danos em habitações mal construídas e/ou mal situadas;


Provocam destelhamento em edificações;


Causam traumatismos provocados pelo impacto de objetos transportados pelo vento, por afogamento e por deslizamentos ou desmoronamentos.


No Brasil, os vendavais são mais freqüentes nos estados da Região Sul.


Fonte: Engeplus.


01/07/2020  às 11hs19