12/06/2019  às 07hs26

Esportes

Criciúma vence Brasil de Pelotas e sai do Z4 da Série B

Time catarinense volta a respirar na competição, mas ainda está longe do sossego – e da série A


Reprodução Internet

Reprodução Internet

Cesar Esteves, Gazeta Press
Edição, Redação LnS

 


O Criciúma derrotou, nesta terça, o Brasil de Pelotas por 1 a 0 no Estádio Bento Freitas pela pela 8ª rodada da Série B. No primeiro tempo, o Xavante teve uma atuação razoável, criou algumas chances e pecou na finalização. Diferente da etapa final quando foi controlado pelo Tigre e nem assustou a meta de Luiz. Reis foi o autor do único gol para os catarinenses.


Com o resultado, o Brasil de Pelotas caiu para o 12º lugar com nove pontos. E o Criciúma deixou a zona do rebaixamento e saltou para 15º posição com a mesma pontuação do Xavante.


Na próxima rodada o Brasil de Pelotas visita o Botafogo-SP no Estádio Santa Cruz. Já o Criciúma recebe o Coritiba no Heriberto Hulse. Os jogos acontecem depois da Copa América.


O Jogo - Muito truncado o início de partida no Bento Freitas. Aos 05, Marcinho cruzou na área e Murilo Rangel cabeceou direto para o gol. Luiz faz grande defesa e evitou o primeiro gol do Xavante. Já o Tigre adotou uma postura reativa e especulou jogadas de contra-ataque.


Os donos da casa arriscam chutes de fora da área na tentativa de furar o bloqueio defensivo dos catarinenses. Aos 18, Douglas Baggio ajeitou a bola e soltou uma bomba. A bola passou por cima da meta de Luiz. Quatro minutos depois veio a resposta do Criciúma através de Vinícius, cortou para o lado e chutou colocado. A redonda levou susto a meta de Carlos Eduardo.


Numa jogada bem tramada, aos 24, Marcos Vinícius tocou para Reis que chutou colocado por cima de Carlos Eduardo fazendo a bola morrer no fundo da rede. Na tentativa de igualar o marcador, os mandantes se lançam para o ataque.


Quase o Brasil de Pelotas empatou, aos 37, Luiz saiu do gol. Ao ver o goleiro distante, Marcinho arriscou de longe, mas Platero de cabeça salvou os visitantes. Por pouco o Tigre não marcou o segundo, aos 44, Marlon cobrou o escanteio e Liel pegou de primeira assustando o arqueiro Carlos Eduardo.


Durante a etapa inicial o Xavante criou as melhores oportunidades, mas pecou na finalização. Enquanto isso o Tigre se mostrou mais eficiente e mortal na chance que teve.


Nesse começo do segundo tempo os comandados de Rogério Zimmermann encontram dificuldades para penetrar na defesa do Criciúma. Para ganhar mais força ofensiva o Xavante colocou o atacante Bruno Paulo no lugar de Douglas Baggio.


A primeira chegada com mais perigo na etapa final foi, aos 19, Bruno Paulo faz boa jogada e tocou Marcinho. Ele ajeitou e chutou, mas a bola saiu torta e para fora. Com espaço para o contra-ataque, os catarinenses começam a levar perigo a meta de Carlos Eduardo.


Sem muita organização, o Brasil na base do abafa busca o empate. E o Criciúma se defende bem e especula alguma jogada de velocidade. Na reta final, o Xavante abusou de cruzamentos para a área o que facilitou o trabalho dos defensores do Tigre. Apesar da insistência, os mandantes não souberam furar o ferrolho do time catarinense que conquistou importante triunfo.


12/06/2019  às 07hs26