08/03/2019  às 14hs04

Polícia

Delegacias de Orleans e Lauro Müller estão sem plantão

Falta de efetivo policial fez com que o atendimento durante as noites e os fins de semanas fossem unificados em Urussanga.


Foto: Ketully Beltrame

Foto: Ketully Beltrame


Pela falta de efetivo, as Delegacias de Polícia Civil de Orleans e Lauro Müller estão sem plantão durante as noites e os fins de semana. Os atendimentos à noite e aos fins de semana passarão a ser realizados somente em Urussanga. A decisão foi tomada após reunião entre o delegado regional de Polícia Civil de Criciúma, Vitor Bianco Junior, os delegados de Polícia de Orleans, Ulisses Gabriel; Lauro Müller, Márcio dos Santos Maciel; e Urussanga, Marcelo Viana.


Conforme o delegado Ulisses Gabriel, são necessários, no mínimo, quatro agentes de Polícia Civil em cada município para que o plantão seja mantido em Orleans e Lauro Müller. “Deve haver no mínimo quatro para que atue um por dia. Mas é necessário mais um para cobrir férias e entre outras situações. Ou seja, o ideal seriam cinco apenas no plantão”, explicou.


Mas, além disso, há o expediente normal para atendimento à população, mantendo em atividade os setores de investigação e de trânsito. Com a falta de efetivo, foi necessário optar entre fechar o plantão ou a investigação. “Se fechássemos a investigação, os Boletins de Ocorrência iriam para uma gaveta e os criminosos não seriam presos. Sem investigação não há segurança”, observou Ulisses Gabriel. A opção foi então unificar o plantão de Orleans, Lauro Müller e Urussanga.


Atualmente, a Delegacia de Polícia Civil de Orleans conta com um delegado, uma escrivã e seis agentes. O delegado Bruno Sinibaldi foi promovido recentemente e não atua mais na Cidade das Colinas. Dois agentes de Orleans foram transferidos para Urussanga, para atuar no plantão. Já Lauro Müller tem um delegado, um escrivão e quatro agentes. Um agente também foi transferido para Urussanga. Anteriormente, havia dois em Orleans e dois em Lauro Müller responsáveis pelo plantão, que acontecia nas duas cidades de forma intercalada.


Com a mudança, os Boletins de Ocorrência – BOs registrados à noite e aos fins de semana terão que ser feitos em Urussanga ou pela internet, através do site www.delegaciavirtual.sc.gov.br. Em casos de crimes graves, foi criada uma escala de sobreaviso para atendê-los.


A bandeira do aumento do efetivo policial


Com frequência, o delegado de Polícia Civil de Orleans, Ulisses Gabriel, bate na tecla do aumento do efetivo policial. “Vamos nos dedicar ao máximo para atender as pessoas. Mas a população precisa cobrar do Governo o aumento do efetivo urgentemente. Se não ocorrer a recomposição dos policias, o crime vai tomar conta. Segurança tem que ser uma prioridade, pois sem ela não teremos presente e muito menos futuro”, enfatizou.


Segundo ele, para prestar um serviço melhor à população se faz necessário investimentos na Segurança Pública, principalmente no que diz respeito à recomposição do número de policiais. “Sem polícia não tem segurança. Sem policiais, não têm polícia. Sem investigação não há segurança eficiente, pois os criminosos ficarão impunes e soltos pelas ruas. Nossa segurança deve vir em primeiro lugar. A nomeação de mais delegados de Polícia é essencial para a melhoria da segurança pública de Santa Catarina. Se não forem nomeados mais policiais civis, a situação se tornará complicada”, reforçou.


Redação Notícias JH


08/03/2019  às 14hs04