22/03/2019  às 08hs43

Geral

Dia Mundial da Água: mananciais da Região Sul pedem socorro

Várias ações estão programadas na região para lembrar o Dia Mundial da Água. No Sul Catarinense, entidades irão para as praças e escolas, para alertar as comunidades sobre a necessidade de cuidar deste bem natural tão importante para a humanidade.


Fotos: Lucas Colombo

Fotos: Lucas Colombo


De acordo com a Agência Nacional de Águas (ANA), estima-se que 97,5% da água existente no mundo é salgada e não é adequada para o consumo direto e nem à irrigação. Dos 2,5% de água doce, a maior parte (69%) é de difícil acesso, pois está concentrada nas geleiras, 30% são águas subterrâneas (armazenadas em aquíferos) e 1% encontra-se nos rios. O Brasil compartilha cerca de 82 rios com os países vizinhos, incluindo importantes bacias como a do Amazonas e a do Prata, além de compartilhar os sistemas de aquíferos Guarani e Amazonas.


Várias ações estão programadas na região para lembrar o Dia Mundial da Água. No Sul Catarinense, entidades irão para as praças e escolas, para alertar as comunidades sobre a necessidade de cuidar deste bem natural tão importante para a humanidade. Projetos estão entrando em operação para melhorar a saúde da água dos rios, como é o caso de Jacinto Machado. Que de acordo com a extensionista rural social da Epagri, Aline Hahn Fernandes, coordena os trabalhos de proteção de nascentes, desde 2004 já realizou a proteção de mais de 80 nascentes.


Unidades de conservação


O coordenador da Bacia de Urussanga, Leonardo Porto Ferreira, apresenta um dado alarmante sobre a poluição dos rios da Região. “Durante o diagnóstico realizado foram levantados dados principalmente sobre a quantidade e a qualidade das águas dos rios da região. Neste estudo foi possível verificar que alguns trechos de rios estão em situação crítica quanto à qualidade”, alerta.


A engenheira ambiental, Michele Pereira da Silva, que faz parte do Comitê da Bacia de Araranguá diz que poderá faltar água no futuro para o consumo humano. “Se a quantidade de água usada pelo setor industrial, pela mineração não reduzir, teremos problemas para a disponibilidade de água. Não vai ter água para todo mundo que já é comprovado pelo plano estadual. Precisamos urgente buscar soluções para minimizar a situação antes que tenhamos falta de água para o abastecimento humano”, conclui Michele.


 


 


Com informações do Portal DN Sul.


22/03/2019  às 08hs43