30/09/2017  às 19hs33

Religião

Dom Onécimo celebra 25 anos de sacerdócio


Divulgação

Divulgação

Este domingo, dia 1 de outubro, será de festa para a comunidade Nossa Senhora das Dores, na localidade de Brusque do Sul, interior de Orleans. Filho das dioceses de Criciúma e Tubarão, Dom Onécimo Alberton preside missa, às 10 horas, em ação de graças pelos seus 25 anos de vida sacerdotal. O epíscopo foi ordenado sacerdote em 27 de setembro de 1992, sob a imposição das mãos de Dom Hilário Moser, então Bispo de Tubarão. “Fui o primeiro padre a ser ordenado por Dom Hilário, recém chegado, naquela época, à Diocese de Tubarão”, recorda Dom Onécimo.

Em 17 de dezembro de 2014, o Papa Francisco nomeou Dom Onécimo como Bispo da Diocese de Rio do Sul (RS). Sua ordenação episcopal foi celebrada em 22 de fevereiro de 2015, em Criciúma. Com 52 anos de idade, Dom Onécimo serviu a Diocese de Criciúma desde a sua criação, passando pelas paróquias Nossa Senhora da Natividade, São José e São Paulo Apóstolo, além de ter sido formador e reitor durante dez anos no Seminário Teológico Bom Pastor, onde residem os seminaristas de Teologia da Diocese de Criciúma, em Florianópolis.

“Esse percurso me diz do quanto eu sou agradecido a Deus pela acolhida, pela presença de tantas lideranças do povo santo de Deus em minha vida, nas paróquias por onde tenho passado, na Diocese onde tenho convivido durante todos esses anos e agradeço a Deus pela presença de tantos padres, pela acolhida do presbitério, pela fraternidade presbiteral que a gente sempre procurou viver junto a tantos irmãos da Diocese de Tubarão e, depois, Criciúma. Sou agradecido também aos bispos, a Dom Hilário, que me ordenou, a Dom Paulo e Dom Jacinto, aos quais estive diretamente ligado, durante todos esses anos e todos os demais bispos”, ressalta o jubilando.

Conforme Dom Onécimo, muita coisa mudou em sua vida após a nomeação, principalmente no que se refere às responsabilidades. “Antes, uma paróquia; agora, 31 paróquias. Antes, um número ‘x’ de comunidades que pertencia a uma paróquia; hoje, 487 comunidades. Diante de tantos desafios pastorais que a gente enfrenta, seja na diocese, na presença junto às paróquias, junto ao presbitério e à formação, é algo que realmente tem me modificado, em termos de responsabilidade, de missão e de a gente ser sinal de uma Igreja mais próxima, mais samaritana, junto ao povo santo de Deus”, revela.

Nos dois anos e meio somados até agora à frente da Igreja em Rio do Sul, Dom Onécimo já está em sua 17ª visita pastoral e afirma que pretende concluir a visita a todas as comunidades da Diocese, até que se completem os primeiros três anos de sua missão. “Sou agradecido a Deus por estes 25 anos de vida sacerdotal, me sinto bem como bispo, porque não encontro dificuldade para conviver, sobretudo com as comunidades, com as lideranças a quem tenho sempre estado junto em todos os momentos de formação, de reuniões, de encontros, de congressos, bem como junto aos padres, religiosos, religiosas e seminaristas que fazem parte da Diocese. Sou agradecido a Deus por tamanha confiança que a Igreja tem depositado em mim, nessa responsabilidade tão grande que me coloco junto a este povo ‘como aquele que serve’ (Lc 22,27c), que é o lema que eu abracei para realmente viver o ministério episcopal”, pontua Dom Onécimo.

Com informações do Portal Engeplus


30/09/2017  às 19hs33