10/11/2017  às 13hs49

Política

Em Brasília, Secretário Comim busca reverter corte de 98% no SUAS


Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

O anuncio do governo federal da possibilidade de cortar até 97% dos recursos para assistência social no orçamento de 2018, vem mobilizando a classe política e autoridades da área em todo país.

O Secretário de Estado da Assistência Social, Trabalho e Habitação de Santa Catarina, deputado Valmir Comin, esteve nessa terça-feira em Brasília, onde além de participar do Fórum Nacional de Secretários de Estado da Assistência Social (FONSEAS), participou também da Comissão Intergestores Tripartite (CIT), onde o principal assunto foi o corte orçamentário da assistência social que ameaça o Sistema Único de Assistência Social (SUAS). Estiverem presentes também o presidente da Frente Parlamentar Catarinense, deputado João Paulo Kleinubing, o presidente da Comissão Mista, senador Dário Berger, e o relator deputado Cacá Leão.

Em entrevista à Rádio Guarujá, Comim afirmou que os recursos no orçamento do governo federal de 2017 para a área de assistência social de Santa Catarina, foram de pouco mais de R$ 1 bilhão. “O anúncio tem preocupado os gestores municipais e ameaça seriamente a viabilidade de alguns serviços prestados nos municípios brasileiros. Se de fato acontecer o corte isso levaria o sistema a um colapso, pois o repasse para atendermos os 295 municípios do nosso Estado seria de apenas R$ 33 milhões. É uma atitude insana que nós não reconhecemos”, explicou o secretário.

No Brasil são mais de 30 milhões de famílias cadastradas nos mais de 8 mil CRAS; mais de 70 mil pessoas acolhidas e protegidas pela assistência social; mais de 4,4 milhões de beneficiários através da prestação continuada. “O corte de 98% das verbas do SUAS, em 2018, provocará reação em cadeia com a elevação dos índices de famílias em situações de risco, crianças abandonadas, evasão escolar e aumento da violência”, prevê Comim.

Ainda em Brasília Comin, acompanhado do Secretário Executivo de Habitação e Regularização Fundiária, Leodegar Tiscoski, estiveram em audiência com o Diretor de Assuntos Fundiários Urbanos do Ministério das Cidades, Silvio Figueiredo, e com o Diretor do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (INCRA), Rogério Arantes. No encontro discutiram sobre habitação e regularização fundiária em Santa Catarina.


10/11/2017  às 13hs49