16/10/2017  às 10hs08

Saúde

Em Criciúma, pacientes com Alzheimer conquistam qualidade de vida por meio da arte


Foto: Reprodução NSC TV

Foto: Reprodução NSC TV

Em Santa Catarina, milhares de pessoas têm Alzheimer. Um projeto em Criciúma, no Sul do estado, mostra que é possível dar mais qualidade de vida a esses paciente por meio da arte.

Há sete anos, Adolfo Graci, de 79 anos, descobriu que tem Alzheimer. ”Dá uma fraqueza, uma tristeza e tudo vai ficando devagarzinho”, contou o aposentado.

Ele é um dos quase 46 mil catarinenses que têm a doença. “Eu percebi que ele estava doente, que ele não estava comendo mais e eu perguntava: ‘tu não quis almoçar hoje?’, almocei, não sei, acho que almocei”, relatou a mulher de Adolfo, Graça Meurer.

O Alzheimer afeta principalmente os idosos e não tem cura, mas com algumas mudanças na rotina, o paciente pode ganhar qualidade de vida. “O primordial é o estímulo cognitivo, emocional, físico, porque tudo isso eles vão perdendo, conforme a doença vai se agravando”, explicou a psicóloga Daiana Coan.

“É bem difícil, eu renuncio muito de mim para me dedicar a ele”, contou Graça.

Ela buscou apoio em um projeto em Criciúma, com atendimento gratuito. A iniciativa da Associação Feminina de Assistência Social oferece capacitação para familiares que, muitas vezes, são os responsáveis pelo cuidado diário dos pacientes.

Eles aprendem jogos que estimulam o raciocínio de quem tem a doença, trabalhos manuais que aumentam a criatividade e até alguns passos de dança.

Além disso, os idosos têm aulas de música, aprendem a ler partituras, a posição de cada nota, e, quando soltam a voz, estimulam a mente a lembrar canções de quando eram crianças. “Você mexe com a memória e aí você fica mais inteligente”, disse o aposentado Aldir Maravai.

Para participar desse projeto em Criciúma é preciso se inscrever pelo telefone (48) 3438-8229. Em Unidades Básicas de Saúde de todos os municípios é possível obter orientações sobre o Alzheimer.

 

Com informações do site G1 SC


16/10/2017  às 10hs08