20/09/2019  às 10hs54

Política

Engenheiro faz apelo pela manutenção do projeto "Caminho de Anita"

O engenheiro civil Edesio Berger usará a tribuna da Câmara de Vereadores no dia 7 de outubro para defender o projeto em prol do cicloturismo no interior de Orleans.


Administração Municipal realizará a pavimentação de um trecho de 2,7 quilômetros entre o Rio Novo e a Ponte Preta – Foto: ASCOM PMO

Administração Municipal realizará a pavimentação de um trecho de 2,7 quilômetros entre o Rio Novo e a Ponte Preta – Foto: ASCOM PMO


Edesio Berger, engenheiro civil que atuou por quase 30 anos da Prefeitura de Orleans, usará a tribuna da Câmara de Vereadores no dia 7 de outubro para defender um assunto considerando de interesse público. Trata-se do projeto denominado "Caminho de Anita", que contempla asfalto, ciclovias, calçadas e obras de arte no interior da cidade. A preocupação do cidadão orleanense é que o projeto fique inviabilizado de ser realizado futuramente, tendo em vista que já foram iniciados os trabalhos para a pavimentação entre as comunidades do Rio Novo e Ponte Preta.


O pedido do engenheiro civil Edesio Berger é que, ao executar tal obra, seja levado em consideração o projeto "Caminho de Anita", fazendo o alargamento da estrada necessário para que seja possível, futuramente, construir ciclovias e calçadas neste trecho. Num trajeto de 2,7 quilômetros, a atual Administração Municipal está realizando os serviços de terraplanagem e limpeza, que devem ser finalizados em 30 dias, aproximadamente, para então receber a base asfáltica. A intenção é que isso ocorra até dezembro. Tal obra receberá um investimento de R$ 1,9 milhão.


Segundo o Edesio, o intuito do projeto "Caminho de Anita" é desenvolver o turismo, a preservação da natura e o bem-estar dos moradores e também dos visitantes que buscam os locais potencialmente turísticos no interior de Orleans.  Com o desenvolvimento dos projetos, a intenção é contribuir para a fixação do homem no meio rural, uma vez que provoca o surgimento de resorts, cabanas, pesque-pague, hotéis-fazenda, trilhas, caminhadas e entre outras atividades que possam gerar rendimentos extras aos agricultores ou a investidores do setor turístico rural.


"Temos em Orleans um enorme potencial turístico denominado de 'Janela Furada', bem como o 'Morro da Igreja', 'Morro da Laranjeira', '1ª Ligação do Planalto com o Litoral, onde se praticava o Escambo entre o povo do planalto com os do litoral'; sem falar de tantos outros pontos turísticos que a natureza nos brindou e que estão à disposição para serem explorados com critério e consciência ecológica", defendeu.


O projeto que contempla a pavimentação na Estrada Geral Rio Novo, em um trecho de 6,7 quilômetros já pavimentado, foi elaborado pelo engenheiro civil Edesio Berger. Ao prepara-lo, o profissional levou em consideração o espaço necessário para a execução do "Caminho de Anita", para que, além do asfalto já existente, tenha condições de receber ciclovias e calçadas. Segundo ele, o objetivo, além do turismo, foi o de garantir a segurança dos pedestres e ciclitas que por ali transitam.


Para que fosse dado continuidade a tal planejamento no futuro, esta obra que está sendo feita atualmente – de 2,7 quilômetros – precisaria seguir os mesmos moldes dos 6,7 quilômetros que a antecede. Contudo, segundo o engenheiro, da maneira que está sendo executada a pavimentação no local, acabaria se tornando inviável. Edesio se colocou à disposição da Atual Administração para explicar as características necessárias e também para fazer, de forma voluntária, um projeto para que seja possível a realizações de tais ações no futuro.


“Não quero polemizar nada nos meios de comunicação, apenas que já fizemos algumas tratativas com o prefeito Jorge Koch em seu gabinete junto a ilustres pessoas, como o reitor do Unibave, Élcio Willemann, a empresária Thayni da Silva Librelato e o ciclista mais famoso de Orleans, Ubirajara Pickler, o Bira, e foi muito proveitosa a troca de informações. Contudo, o lugar correto para um ato de tanta de tanta relevância é a Casa Legislativa, a casa do povo, mas, por questões de regimento, só posso ser atendido no dia 7/10/2019. Não se trata de um ato de político e sim de um técnico que acompanha a questão há muitos anos”, afirmou Edesio, acrescentando que, naquele local, passa o maior fluxo de veículos do interior do município.


Conforme o prefeito Jorge Koch, as obras de pavimentação daquele trecho serão executadas conforme o projeto contratado. “O projeto 'Caminho de Anita' não existe na Prefeitura de Orleans. Então para conseguirmos os recursos para fazer a pavimentação do trecho de 2,7 quilômetros entre o Rio Novo e a Ponte Preta, tivemos que elaborar um projeto e, agora, as obras precisam ser executadas conforme o projeto contratado. Até o trecho onde fica a pavimentação existente, não ‘barranqueava’ rio, mas do Rio Novo até a Ponte Preta, isso acontece. Então tem um lugar que vou precisar fazer a estrada geral com nove metros de largura e, ao invés de ficar uma sobra de quatro metros, como ele sugere, ficará entre um e dois metros, justamente porque existe o rio. Sem dúvida, nós pensamos no futuro de Orleans e a obra que está sendo realizada trará muitos benefícios, tenho certeza absoluta”, afirmou.


Redação Notícias JH


20/09/2019  às 10hs54