05/09/2017  às 10hs05

Educação

Ex-aluno da Apae se forma na Unisul


Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

Ex-aluno da Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae), Manoel Alair Rodrigues da Luz, de 47 anos, formou-se bacharel em Educação Física. Morador de Gravatal, ele foi o primeiro ex-estudante da Apae a ingressar na universidade.

A conquista por si só já é digna de mérito para qualquer acadêmico, mas esta é a segunda graduação de Alair. Em 2012, ele concluiu a licenciatura em Educação Física, mesmo ano em que deu prosseguimento aos estudos pelo bacharelado. Foram 11 anos para somar as duas vitórias. 

Ele conta que a paixão pelo esporte o fez avançar na profissão. “Sempre fiz atletismo e natação, o que me fez querer ser bacharel. Aliás, isso irá abrir mais campos para que eu possa, no futuro, atuar em academia ou treino de corrida”, explica.

Para Alair, o apoio de colegas de sala de aula, professores e familiares foi essencial para chegar até aqui. “Tive total apoio de todos, que me ajudaram muito. A ficha ainda não caiu e estou muito feliz”, admite.   

Alair já foi office-boy da Apae, mas hoje trabalha como educador esportivo na instituição. Com empenho e dedicação, ele se alfabetizou aos 36 anos, estudando no Centro de Educação de Jovens e Adultos (Ceja) de Tubarão, seguiu etapas e ingressou na universidade. Após seis anos de estudos, concluiu a licenciatura. 

“Minha alfabetização foi na Apae de Tubarão. Depois, estudei as séries iniciais do ensino fundamental no Monte Castelo e as séries finais no Hercílio Luz. Cursei o médio no Ceja e depois entrei para a faculdade. Futuramente, quem sabe, farei uma pós-graduação”, conta.

A deficiência intelectual não foi empecilho para que ele continuasse os estudos. Para concluir as graduações, o recém-formado bacharel acompanhou muitas disciplinas como ouvinte antes de cursá-las. 

Mas para além das próprias limitações, ele precisou enfrentar as dificuldades financeiras. Estudou com bolsa de estudos, e fez por merecer. “As pessoas devem acreditar em si mesmas e fazer o que gostam. Se não acreditarem e cruzarem os braços, não vão ser ninguém, mas se acreditarem e descruzarem os braços, podem ser”, reforça Manoel.

Além disso, ele é ativo nas questões relacionadas ao esporte. Atualmente, participa de corridas rústicas e treina em academia.

 

Com informações do Jornal Diário do Sul


05/09/2017  às 10hs05