06/10/2014  às 17hs18 - Atualizado em 06/10/2014  às 17hs40

Economia

Greve dos bancários chega ao fim

Os trabalhadores da Caixa Econômica Federal decidiram manter a paralisação, a princípio, até amanhã


Foto: Maristela Benedet

Foto: Maristela Benedet

Os bancários da região aprovaram a proposta da Fenaban igual para bancos públicos e privados e encerram a greve. Os trabalhos retornam nesta terça-feira, dia 7.

A categoria aceitou o reajuste de 8,5% (aumento real de 2,02%) nos salários e demais verbas salariais, 9% (2,49% acima da inflação) nos pisos e 12,2% no vale-refeição, entre outros benefícios. Um dos avanços importantes nas cláusulas sociais  foi o combate às metas abusivas e ao assédio moral, fatores que levam a inúmeros afastamentos dos trabalhadores por transtornos mentais e do sistema nervoso. Além da proibição da publicação de ranking individual de resultados e da cobrança de metas via SMS, a vedação de cobrança de resultados por qualquer meio eletrônico e plataforma digital.

Os bancos também assumem o compromisso de que o monitoramento de resultados ocorra com equilíbrio e de forma positiva para prevenir conflitos nas relações de trabalho.  “Conseguimos arrancar uma da melhores proposta dos últimos tempos pela força de organização dos trabalhadores, que em quatro dias de greve fecharam mais de 10 mil agências no país”, pontua o presidente do Sindicato dos Bancários de Criciúma, Edegar Generoso.

Segundo ele, o momento político com as eleições presidenciais e o segundo turno também foi relevante para essa agilidade na negociação. A greve da categoria iniciou dia 30 de setembro e fechou 51 das 63 agências nos 10 municípios de base do Sindicato com adesão de cerca de 500 trabalhadores. Em 2013, a paralisação foi de 23 dias.

Caixa mantém greve

Nas cláusulas especificas dos bancos públicos, os trabalhadores da Caixa Econômica Federal decidiram manter a paralisação, a princípio, até amanhã. O protesto é para garantir a isonomia, a equiparação dos direitos dos trabalhadores contratados antes de 1998 pelos concursados após 1998.

Uma assembleia acontece amanhã, às 15h, no Sindicato dos Ceramistas para avaliar o protesto. São 12 agências na região concentrando 302 bancários.

Maristela Benedet


06/10/2014  às 17hs18