12/03/2019  às 15hs25 - Atualizado em 12/03/2019  às 15hs33

Tecnologia

Internet completa 30 anos e interliga metade da população do planeta

Rede mundial de computadores faz três décadas e procura vida além das redes sociais, cada vez mais compacta nos smartphones.


Reprodução

Reprodução


Redação Ligado no Sul


Tim Berners-Lee mudou o mundo como o ser humano jamais tinha visto antes. O físico inglês criou o protocolo www (World Wide Web) ou simplesmente a internet, em 12 de março de 1989. Redes de computadores já existem desde meados da década de 1960, mas Berners-Lee liberou o acesso à rede, espaço que era restrito aos militares ou pesquisadores. De lá para cá, muita coisa mudou na sociedade, com a internet regendo a sinfonia da vida moderna. 



Tudo começou quando a iminente guerra nuclear entre Estados Unidos e a extinta União Soviética deixou a Guerra Fria um pouco mais quente. Com o incidente dos Misseis de Cuba, em 1962, todo o planeta se perguntava quando as duas superpotências iriam queimar toda a vida terrena, numa hecatombe nuclear. Com esse medo aparente, o conglomerado militar americano pensou numa forma de manter as informações necessárias para que a humanidade consegui sobreviver e tivesse um meio de comunicação confiável entre pontos protegidos, depois que tudo já tivesse ardido em chamas. Dessa necessidade nascia a Advanced Research Projects Agency Network (ARPANET; em português: Rede da Agência para Projetos de Pesquisa Avançada). Essa rede foi a espinha dorsal para comutação de pacotes, sendo primeira rede a implementar o conjunto de protocolos TCP/IP, o mesmo que é usado para troca de e-mails. 



Quando a Guerra Fria esfriou, em meados dos anos 80, Tim Berners-Lee, físico britânico concebeu na Organização Europeia de Pesquisas Nucleares (Cern) o que conhecemos hoje como a internet nossa de cada dia. Antes, somente militares e acadêmicos de universidades tinham acesso a troca de informações pelos computadores.



Em pouco mais de cinco anos, a internet foi o primeiro meio de comunicação a alcançar 50 milhões de usuários – os internautas – coisa que jornais, rádios e TVs em todo mundo somente conseguiram depois de algumas décadas. Hoje, cerca de 3,7 bilhões de pessoas em todo o mundo estão ligados via cabo, ADSL ou rádio, surfando nas ondas da comunicação global. 
Com a popularização dos smartphones, a internet hoje cabe na palma da mão e vai de casa para o trabalho, para a praia ou campo, a pé ou num avião, desde que a conexão ou o Wi-Fi tenham sinal. A Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) registrou 229 milhões de linhas móveis em dezembro de 2018, espalhadas em todo o país. No Sul há cerca de 33,7 milhões de usuários, sendo 7,9 milhões somente em Santa Catarina. 



Por aqui, o primeiro provedor de internet regional foi o Engeplus, de Criciúma, em 1995. A expansão da internet é ampla em todas as cidades da Encosta da Serra Geral e Vale de Braço do Norte, alcançando até áreas rurais, com acessos via rádio ou telefonia móvel, coisa que não cabia na imaginação das pessoas quando a rede ainda engatinhava, num 12 de março, em 1989. 


12/03/2019  às 15hs25