13/11/2017  às 09hs39

Economia

JBS se opõe à mediação do Ministério Público


Foto: Reprodução Clicatribuna

Foto: Reprodução Clicatribuna

A JBS respondeu negativamente à proposta do Ministério Público intermediar negociações com possíveis investidores na unidade de Morro Grande, que já está com as portas fechadas. A resposta foi peticionada no processo que corre na Comarca de Meleiro e irá para análise do magistrado.

Na resposta, a empresa coloca que sempre esteve e está aberta ao recebimento de propostas de eventuais interessados na aquisição da unidade fabril de Morro Grande. “Uma vez havendo interessado efetivo (e não meros especuladores ou terceiros se intitulando “intermediários”), a JBS poderá disponibilizar as informações preliminares para o andamento das tratativas, desde que prestadas diretamente ao interessado na aquisição, e mediante prévia formalização de contrato de confidencialidade, cujos termos serão discutidos diretamente com o pretenso comprador, haja vista que a empresa não pode abrir informações sigilosas de sua atividade ao público em geral, sob pena de comprometer a sua própria sobrevivência”, traz o texto.

Após a justificativa, a assessoria jurídica da empresa coloca que “com o devido respeito, entende não ser estrategicamente prudente a interveniência do Ministério Público em negócios entre particulares, podendo tal situação inclusive afastar pretensos compradores”.

Por outro lado, a empresa não se opõe a que o Ministério Público, se assim o desejar, apenas encaminhe pretendentes à aquisição da unidade fabril para a direção da empresa, os quais serão recebidos nas mesmas condições dos demais interessados na negociação, conforme acima exposto.

Entenda o caso

O Ministério Público, através da Promotoria de Justiça de Meleiro, se dispôs a intermediar as negociações entre a JBS e grupos interessados em adquirir a unidade de Morro Grande. A medida foi proposta em reunião conciliatória, realizada no dia 1º de novembro, comandada pela juíza Thania Mara Luz. Foi estabelecido o prazo até esta sexta-feira para uma resposta da JBS.

A reunião conciliatória foi marcada pela juíza, após não deferir liminar protocolada pela Administração Municipal de Morro Grande para a manutenção das atividades no município. A empresa encerrou oficialmente as atividades no último dia 31 de outubro, porém desde o dia 26 já não estava mais realizando o abate de aves. A medida impactou na demissão de aproximadamente 740 pessoas, além do cancelamento de contrato com os 130 produtores de frango associados.

A empresa anunciou o cancelamento da produção em Morro Grande em setembro. Desde então, lideranças políticas da região e do Estado se empenharam para reverter a situação ou repassar a unidade para outro gestor.

 

Com informações do site Clicatribuna


13/11/2017  às 09hs39