03/05/2018  às 17hs18 - Atualizado em 04/05/2018  às 07hs19

Saúde

Jorge Koch oficializa mudanças na administração da FHSO e anuncia repasses

Entre as alterações está o nome de Cristiane Vavassori como nova gerente administrativa da entidade


Fotos: Elariana Fernandes

Fotos: Elariana Fernandes

O prefeito de Orleans e presidente do Conselho Curador da Fundação Hospitalar Santa Otília - FHSO, Jorge Luiz Koch, reuniu a imprensa na tarde desta quinta-feira (03) na sede da fundação para anunciar a alteração de nomes que compõem a administração do hospital.

Com a repercussão sobre a fundação nos últimos dias, levantada pelos vereadores em sessão legislativa, cargos, salários e atendimento passaram a ser questionados pelos parlamentes, o que causou tumulto nas redes sociais e entre populares da cidade. Com isso, a partir desta quinta-feira, mudanças foram solicitadas pelo prefeito em meio à equipe da fundação e imprensa local.

A equipe

Com as alterações, o então gestor administrativo do hospital Fidélis Eing deixou o cargo, que passa a ser ocupado pela enfermeira-chefe Cristiane Vavassori, nova gerente administrativa do hospital, por um período de três meses.

O presidente da FHSO continua sendo o representante do Lions Clube, Mário Salvador, o qual atua por meio de serviço voluntário. “Na verdade a minha permanência aqui ainda depende de uma reunião que vai acontecer hoje à noite com o Lions. Se eles decidirem que o Mário sai, eu saio. Se decidiram que fica, eu fico. Afinal, estou aqui como um representante do Lions Clube”, comentou o atual presidente.

Como Diretor Técnico permanece o médico Dr. Marcelo Cardoso. Kethury Bardini fica como encarregada do Setor Financeiro e Analuze Goulart atua no setor de Recursos Humanos.

Mudanças estratégicas

No ato, o prefeito pediu à equipe do hospital que passe a humanizar o atendimento para fazê-lo com mais qualidade. A comunicação e transparência para com a imprensa e população também foram exigidas pelo gestor municipal.

Além disso, Koch afirmou que, a partir de agora, o hospital não poderá mais cobrar taxa sobre os serviços prestados aos pacientes. “Nós só iremos cobrar em casos em que o paciente tem que trazer o seu próprio material e não o traz. E, quando o hospital for procurado no horário em que as Unidades de Saúde estão abertas, pois esses procedimentos podem ser feitos nos postinhos”, completou a gerente administrativa.

O horário para troca de curativos também ficou estabelecido entre 07h e 09h da manhã, caso o paciente procure a fundação para este procedimento fora do horário estabelecido, a taxa poderá ser cobrada.

Repasses

Apesar das mudanças estratégicas e administrativas, o prefeito comentou que a situação financeira da fundação ainda carece de recursos, e pra isso novos repasses serão feitos à  entidade. Para os gatos que correspondem o mês de abril a prefeitura irá repassar nos próximos dias:

- R$ 81.818,00 – para pagamento dos médicos;

- R$ 79.315,46 – para custeio do AIH SUS;

- Dependendo da aprovação dos vereadores na próxima sessão legislativa, um repasse de R$ 100 mil será feito pela prefeitura para ajudar a abater os custos com a folha de pagamento do mês de abril;

Confira a tabela de atendimentos no Pronto Socorro da FHSO mês a mês:

Maternidade fechada a partir de setembro


O prefeito informou ainda no ato que a partir do mês de setembro de 2018 a maternidade da FHSO passa a estar descredenciada. As parturientes, gestantes e pacientes da área passarão a ser transferidas para o Hospital Materno Infantil Santa Catarina – HMISC, de Criciúma. “As maternidades dos hospitais de Urussanga e Lauro Müller já estão fechadas, não faz sentido nós mantermos esse gasto sendo que não há uma demanda significativa. O número de partos que é realizado hoje não corresponde ao gasto que a fundação tem pra manter a maternidade”, disse o prefeito.

Estava em andamento a busca por um emenda parlamentar, em nível estadual, de R$ 400 mil para o custeio da reforma e manutenção da maternidade, com a decisão do descredenciamento o valor será redirecionado. “Eu estive em reuniões e conversações durante essa semana e consegui fazer com que esse valor seja usado em favor do hospital em ouros segmentos, o valor virá para o hospital em seis parcelas de R$ 66 mil – durante seis meses. Esse valor vai ser usado para ajudar a manter os custos do funcionamento da entidade”, explicou Koch.


03/05/2018  às 17hs18