05/04/2019  às 14hs06 - Atualizado em 05/04/2019  às 14hs10

Política

Mário Coan deixa a Secretaria de Administração de Orleans

Vice-prefeito do município, que também exercia o cargo de secretário de Administração e Finanças, fez o comunicado por meio de ofício.


Mário Coan exerce a função de secretário municipal desde janeiro de 2017, quando iniciou seu mandato como vice-prefeito - Foto: Ligado no Sul

Mário Coan exerce a função de secretário municipal desde janeiro de 2017, quando iniciou seu mandato como vice-prefeito - Foto: Ligado no Sul


Alegando questionamentos feitos por vereadores e “denúncias realizadas que visam denegrir sua imagem como vice-prefeito e secretário de Administração”, Mário Coan deixou à disposição o cargo frente à Secretaria de Administração e Finanças de Orleans. A informação foi divulgada à imprensa e à população nesta quinta-feira, dia 4, através de nota oficial assinada pelo prefeito Jorge Koch.


No ofício encaminhado chefe do Executivo, Mário Coan esclarece que atua desde 2 de janeiro de 2017 na função de secretário sem acumular remunerações. Ou seja, exercendo as duas funções, mas recebendo apenas pelo cargo de vice-prefeito. Segundo ele, os questionamentos se deram em sessão ordinária da Câmara de Vereadores de Orleans e em denúncia feita ao Ministério Público de Santa Catarina, que gerou o Procedimento nº 01.2019.00005254-9.


A reportagem buscou o teor da denúncia junto à Promotoria de Justiça de Orleans, mas sem sucesso. Conforme informações, a tendência é que, com a exoneração, o procedimento, que ainda está em tramitação, seja encerrado e publicado no Diário Oficial. Segundo o vice-prefeito, a denúncia alegava que o acúmulo de função era incompatível e que o cargo exigia dedicação exclusiva.


De acordo com o prefeito Jorge Koch, a convocação para que Mário Coan assumisse a Secretaria de Administração e Finanças se deu em função de sua qualificação. O vice-prefeito possui graduação em Ciências Contábeis e MBA em Gestão Estratégica de Negócios, além de ter somado experiência atuando em empresa privada e lecionando no curso de Administração do Centro Universitário Barriga Verde (Unibave).


Conforme a nota, o fato de ele assumir o cargo sem receber a mais por isso gerava economia aos cofres públicos. Ainda no comunicado, o prefeito disse entender as razões do secretário. Além disso, informou que o secretário adjunto, Jair Wagner, assumirá a Secretaria de Administração e Finanças interinamente. O Município apresentará o secretário ou a secretária de forma definitiva assim que um novo nome for escolhido.


Na sessão ordinária do dia 25 de março, o vereador Paulo Canever (PSD) questionou à presidente do Sindicato dos Servidores Públicos de Orleans, Janes de Lorenzi, sobre o acúmulo de funções. "Temos aqui no nosso Município, o nosso vice-prefeito, que é também secretário, diretor de uma empresa e professor à noite. Então ele acumula funções. Qual o embasamento legal que o sindicato vê nesta situação?". Conforme o vereador, o questionamento feito por ele na ocasião foi feito para entender “como uma pessoa só poderia acumular tantas funções”. Ele informou ainda que não questionou a respeito do salário.


Já na sessão ordinária desta segunda-feira, dia 1, o questionamento foi levantado pelo vereador Udir Luiz Pavei (PSD), o Dija. "Eu já ouvi comentários e acho que todo mundo precisa de esclarecimentos. Nós temos hoje o secretário de Administração oficial? Não sei. Alguns dizem que o Mário não é mais. Ele vinha mensalmente ou trimestralmente dar informações de como vinha acontecendo a Administração. Por um tempo, passou por um problema de saúde e se entendeu, mas é um cargo de importância muito grande. Eu gostaria que nós tivéssemos uma resposta. Ele é uma pessoa pública, que exerce uma função pública, então deve dizer os motivos pelo quais está saindo. Transparência. Nós vereadores e população merecemos saber".


Ao ser questionado sobre o fato, após a divulgação da exoneração, Dija afirmou que um pedido de esclarecimento não é suficiente para uma exoneração. “Pedimos uma atenção porque se trata de um secretário importante na Administração Municipal. Havia boatos e eles não haviam comentado nada se ele iria sair ou não. Eu até pensei que fosse bobagem. Então agora está esclarecido. Ele já foi vereador e sabe que há pedidos de esclarecimento. Com ele não foi diferente. Não questionamos o trabalho dele frente à pasta, mas sim se as informações eram reais ou se não passavam de boatos”, justificou.


05/04/2019  às 14hs06