16/05/2018  às 08hs26

Geral

Ministério Público Estadual indefere denúncia indicando má qualidade na pavimentação da rua Hermínio Baggio em São Ludgero


Foto: Bertoldo Kirchner Weber/Assessor de Comunicação Município de São Ludgero

Foto: Bertoldo Kirchner Weber/Assessor de Comunicação Município de São Ludgero


O Ministério Público Estadual indeferiu denúncia feita indicando a má qualidade do asfalto colocado na rua Hemínio Baggio, bairro Santo Antônio, em São Ludgero, após morador ter gravado um vídeo e postado nas redes sociais arrancando o mesmo e insinuando a má qualidade do produto utilizado.


      A notícia de fato foi instaurada na Promotoria de Justiça em 5 de março de 2018, por intermédio da Ouvidoria do Ministério Público. Ao dar o parecer final, após receber informações e documentos da empresa responsável pela execução, empresa responsável pela fiscalização, Caixa Econômica Federal e Administração Municipal, o Ministério Público Estadual declarou que não existem quaisquer irregularidades na execução das obras de pavimentação e que todos os procedimentos e normas técnicas estão sendo respeitados.


   De acordo com a empresa Setep Construções S.A. existiram dois problemas constatados ao analisar o vídeo feito. “...as visíveis escavações na base do pavimento e a submissão do asfalto quente aos movimentos de tração provocados exclusivamente pela pessoa que aparece no vídeo.”


    O prefeito de São Ludgero, Ibaneis Lembeck, o Iba, diz que a Administração Municipal segue respeitando a legislação vigente e os padrões de qualidade na execução de obras. “Sempre incentivamos as pessoas a ajudarem na fiscalização das obras públicas em execução. O que não pode é um cidadão ir lá e destruir o que está sendo construído. Sempre que pessoas da comunidade nos questionam sobre obras, nós averiguamos. Somos o maior interessado que as obras fiquem bem feitas”, enfatiza. Iba conclui dizendo que os trabalhos seguem, sempre exigindo qualidade e eficiência nos serviços públicos executados, sejam por empresas terceirizadas ou funcionários.


 


Ascom/São Ludgero


16/05/2018  às 08hs26