16/09/2017  às 15hs14 - Atualizado em 16/09/2017  às 15hs20

Educação

Mulher se forma em nutrição aos 87 anos


Divulgação

Divulgação

Jundiaí, (SP)

Cabelos brancos, 87 anos e um diploma recém-conquistado nas mãos. Essa é Luísa Valencic Ficara, imigrante italiana que na semana passada se formou, oficialmente, em nutrição pelo Centro Universitário Padre Anchieta, em Jundiaí, interior de São Paulo.

Ela contou que resolveu se matricular no curso para ‘ocupar a cabeça’ depois da morte do marido e da irmã. “Não adianta ficar em casa que começam as dores. Dores crônicas e de saudade. Ter a casa vazia traz tudo isso”, assegurou.

Ainda assim, o trabalho, que compilou as principais características da produção e consumo de açúcar, foi elaborado a partir de leituras e resenhas mescladas com relatos de histórias que ela viveu.

A orientadora do projeto, Valéria Campos, disse que foi ‘inevitável’ filtrar a parcialidade dos textos dela e transformá-lo em acadêmico e científico. “Os escritos de dona Luísa foram nos conquistando”, afirmou.

Todo o trabalho foi escrito por Luísa à mão. Colegas de sala e funcionários da instituição ficaram responsáveis pela digitação, configuração e impressão.

De acordo com a universidade, a proposta do trabalho de conclusão de curso de Luísa era construir um memorial da vida dela. Porém, por motivos particulares, ela selecionou um livro sobre a história da cana-de-açúcar e não focou a pesquisa na própria vida.


Fonte: O Estado de São Paulo


16/09/2017  às 15hs14