07/08/2020  às 10hs34

Geral

No Dia dos Pais, Joel Cavanholi relembra os aprendizados com a pequena Vitória



Joel Cavanholi foi o personagem escolhido para representar os demais pais nesta sexta-feira, dia 7, na Guarujá. Em razão de sua história de luta com a filha Vitória Rossetti Cavanholi, ele narrou sobre as virtudes e dores de ser pai. A pequena emocionou a todos os orleanenses ao retornar para casa, em 2013, após o tão esperado transplante cardíaco. À época, ela tinha apenas um ano e sete meses de vida.


Vitória portava a Síndrome do Ventrículo Esquerdo, defeito congênito que prejudicava o desenvolvimento do lado esquerdo do coração. Apesar do transplante, os cuidados continuaram. Contudo, em março de 2019, em um dia de comoção geral na cidade, Vitória não resistiu e morreu, aos sete anos, após uma parada cardíaca. A história de força e superação da família Rossetti Cavanholi foi acompanhada por todos os orleanenses e ganhou repercussão em nível nacional.


"Conviver com isso é aprender", afirmou ele. "Eu sempre agradeço a Deus, independentemente do que aconteceu. A Vitória é uma bênção, é um anjo que está no céu hoje, que eu guardo no coração e amo eternamente, assim como meus outros dois filhos", acrescentou.


Segundo ele, a união entre a família nestes momentos é essencial. "Eu acredito que cada pai, cada família que tiver esse carinho e amor, independentemente da situação, acredito que não é pai, é superpai", ressaltou. "Jamais, dentre todos os obstáculos, nunca podemos perder a fé", emendou.


Por fim, Joel ressaltou todo o aprendizado que teve com a Vitória. "Eu não ensinei nada para a Vitória, ela que me ensinou, e muito. Me transformou como pessoa, pai, cidadão. Ela foi meu exemplo. Eu sou um pai que se espelha na filha. Não por ela ter subido na casa de Deus, mas porque ela sempre me ensinou pela batalha de vida. Então é muito especial e gratificante, porque a gente se fortalece como homem".


Confira a entrevista completa neste link.


07/08/2020  às 10hs34