17/07/2019  às 14hs49

Geral

Novos casos de meningite e de H1N1 são monitorados

Os municípios de Jaguaruna, Treze de Maio, Laguna, Imaruí e Braço do Norte também têm casos suspeitos de H1N1, segundo Marlene, que diz que, apesar de ser sempre um dado preocupante, estes dados são considerados dentro do esperado para a região, que, aliás, alcançou a meta de vacinação contra a gripe.



Cinco pacientes com suspeita de H1N1 estão internados no Hospital Nossa Senhora da Conceição (HNSC) em Tubarão. Além deles, um homem de 41 anos está internado com meningite meningocócica do tipo C e outros dois casos com suspeita da doença estão sendo investigados. 

De acordo com a supervisora da Gerência Regional de Saúde, Marlene de Souza Marcelo Gonçalves, estes cinco casos de H1N1 estão sendo tratados com Tamiflu, os pacientes seguem com boa evolução e ainda aguardam resultado da análise para a confirmação da causa da doença. 

Os municípios de Jaguaruna, Treze de Maio, Laguna, Imaruí e Braço do Norte também têm casos suspeitos de H1N1, segundo Marlene, que diz que, apesar de ser sempre um dado preocupante, estes dados são considerados dentro do esperado para a região, que, aliás, alcançou a meta de vacinação contra a gripe. 

De acordo com Helena Caetano Gonçalves e Silva, enfermeira da Vigilância Epidemiológica da Regional de Saúde, além dos casos suspeitos de H1N1, os pacientes com meningite (um confirmado e dois suspeitos) também seguem internados no HNSC. “O caso confirmado está evoluindo bem e os outros dois ainda estão em análise, mas um laudo prévio já descartou ligação entre os casos e apontou outras complicações que podem ter causado a doença”, explica. 

Em junho, dois casos de meningite meningocócica foram registrados em Imbituba. No primeiro deles, a estudante Thaiane Gonçalves de Souza, de 12 anos, não resistiu e faleceu. Uma segunda estudante, da mesma escola e também com 12 anos – amiga de Thaiane -, foi internada e teve a doença confirmada, mas passou por tratamento e ficou curada.


 


Região tem 13 casos


A região contabilizou, até o momento, 13 casos de gripe pelo vírus Influenza. Os municípios que apresentaram casos confirmados de SRAG (síndrome respiratória aguda grave) foram Tubarão (cinco casos), Laguna (três casos), Braço do Norte (dois casos), Armazém, Pescaria Brava e Lauro Müller (um caso cada). Os números são referentes ao período entre 30 de dezembro de 2018 e 12 de julho e foram divulgados pela Dive/SC (Diretoria de Vigilância Epidemiológica) ontem. 

A síndrome respiratória aguda grave (SRAG) abrange casos de síndrome gripal que evoluem com comprometimento da função respiratória que, na maioria dos casos, leva à hospitalização, sem outra causa específica. As causas podem ser vírus respiratórios, dentre os quais predominam os da Influenza do tipo A e B, ou bactérias, fungos e outros agentes. Na região, foram registrados dois óbitos este ano, em março e maio, ambos em Tubarão. 

De 30 de dezembro de 2018 a 12 de julho de 2019, foram notificados 1.122 casos suspeitos de SRAG em Santa Catarina. Destes, 232 foram confirmados para Influenza, sendo 189 pelo vírus A (H1N1), 27 pelo vírus A (H3N2), sete aguardam subtipagem e nove pelo vírus Influenza B. Outros 575 casos de SRAG tiveram resultado negativo para Influenza A e B, 277 casos foram ocasionados por outro vírus respiratórios, um por outros agentes etiológicos e 37 casos se encontram em investigação, aguardando confirmação laboratorial.


 


Fonte: Diário do Sul


17/07/2019  às 14hs49