05/05/2017  às 10hs16 - Atualizado em 05/05/2017  às 10hs47

Culinária

O pinhão e sua essência na gastronomia do inverno catarinense

Na Serra, a semente está entre as opções mais procuradas por 50% dos turistas


Fotos: Elariana Fernandes

Fotos: Elariana Fernandes

A chegada do inverno trás consigo uma série de fatores que influenciam os turistas a procurarem a Serra Catarinense e as regiões mais frias do Sul do Estado. Além das belas paisagens que viram cartões postais em meio às baixas temperaturas, os pratos e bebidas, típicos da região serrana, são um convite em tanto para conquistar o coração das pessoas que passam pela região.

O pinhão, semente que nasce da araucária, árvore encontrada somente no hemisfério Sul, está entre as opções mais procuradas pelos turistas. Comparado por vezes até com a castanha, àqueles que nunca experimentaram, o colocam como primeira opção de prato ao chegar aos restaurantes.

Jaime Gabriel Carvalho Moreira, 29 anos, é proprietário da Churrascaria Cascata, em Bom Jardim da Serra, no planalto catarinense, o empreendimento que está situado junto à Cascata da Barrinha, ponto turístico da cidade, fica ao lado da sua propriedade, onde nascem à cada ano, as belas e bem quistas araucárias.

Com a produção de pinhão dentro de sua propriedade, a semente virou ingrediente dos mais variados pratos que são servidos diariamente na churrascaria. “Hoje 50% dos turistas que chegam aqui, pedem antes de qualquer coisa, um prato que tenha pinhão”, diz o empresário.

Com a demanda e às inúmeras combinações possíveis com o pinhão, a churrascaria oferece  hoje mais de quatro pratos que tem o pinhão como ingrediente principal entre eles:

Truta ao molho de ervas e pinhão

O prato, desenvolvido no restaurante, une a truta, peixe criado na região, ervas colhidas na própria horta do restaurante, como o alecrim, além do pinhão que é inteligentemente combinado ao prato, dando o sabor principal. São servidos como acompanhantes cervejas artesanais, também da região como a Lohn Bier Pinhão, ou vinhos que variam de acordo com o gosto do cliente e as sugestões da casa.

Paçoca de Pinhão

A paçoca de pinhão já é uma especialidade da culinária serrana, conhecida e procurada por residentes e visitantes, o prato é feito com o pinhão moído e combinado com pequenos pedaços de carne de gado e porco, além de temperos verdes à gosto. Além deles, são servidos diariamente, entrevero de pinhão, carreteiro com pinhão e o próprio pinhão cozido ou assado.

“Nós até compramos pinhão aqui da região, mas normalmente a pinha é retirada aqui na nossa propriedade, debulhada, depois o pinhão é descascado e cozido para elaborarmos todos esses pratos”, explica Gabriel.

O fruto da araucária é tão harmônico que conquistou o coração da turista Gilmary Rosa de Moraes. Natural de Paraná, Foz do Iguaçu, a professora aposentada estava em passeio pela região quando foi pega de surpresa, pela combinação do pinhão com a truta. “Estamos fazendo um giro pelas serras do Rio Grande do Sul e Catarinense, eu tinha o sonho de conhecer essa região. Decidimos parar por aqui para almoçar e eu fui pega de surpresa. Nunca fui de comer peixe, eu não comia, mas quando provei o prato de truta com ervas e pinhão, dispensei até a carne vermelha, realmente muito bom”, conta.

Apesar de ser um alimento típico do inverno, os restaurantes da região tem estratégias para manter o fruto disponível e agradar o paladar dos turistas em todas as estações. “Aqui, quando acaba a safra, nós vamos congelando o pinhão descascado, para ter o ano inteiro”, revela Carvalho.

O pinhão

O pinhão, nome que significa “semente boa para assar” nasce da pinha, que cresce nos galhos das araucárias. A safra tem início geralmente em abril e a duração depende da intensidade das baixas temperaturas.

O fruto nasce em forma de semente e unido aos demais podem formar pinhas de diversos tamanhos. Uma pinha média geralmente vai oferecer 1kg de pinhão. Quando verde ela fica presa aos galhos e completa a beleza das araucárias e ao amadurecer é colhida ou cai do pé, estando pronta para debulhar, que acontece de forma manual, assim como a fase de descascar.

Além de ser bem-vindo em diversos pratos, quando consumido em dose moderada, o pinhão pode trazer benefícios à saúde, conforme explicou o nutricionista, Fábio Bianco. “Ele é rico em inúmeros nutrientes, como a quercetina, um flavonóide que protege nossas artérias. Ainda contêm boas fontes de zinco, potássio, cobre e manganês. É sempre importante incluir alimentos regionais da estação em nosso dia a dia, dessa forma,estamos ingerindo nutrientes que promovem nossa saúde e melhoram nosso sistema imunológico. No inverno gastamos um pouco mais de energia para manter a temperatura do nosso corpo, por isso o pinhão é bem vindo. A Natureza é sábia, nos dá pinhão no inverno e não no verão”, explica o profissional.

 Entretanto, o consumo deve ser moderado, pois as calorias podem se tornar vilãs do fruto. “Cada 100g de pinhão cozido, mais ou menos 10 unidades, equivalem em calorias a 200g de arroz cozido, em torno de 8 colheres de sopa, então não podemos abusar se existe a necessidade do controle do peso. A ideia é  comer com moderação, como tudo na vida!”, afirma Bianco.

A produção

A produção do pinhão é feita unicamente pela natureza. A araucária é plantada pela Gralha-azul, ave que se alimenta do pinhão. “Elas pegam o pinhão e os enterram com o bico a fim de guardar para depois comer, depois acabam esquecendo o fruto, e involuntariamente plantam uma nova araucária, já que o próprio pinhão é a semente. Ali, se inicia um novo ciclo, dentro de 25 ou 30 anos, aquela araucária vai gerar os seus primeiros frutos”, relata Gabriel.

Elariana Fernandes


05/05/2017  às 10hs16