29/10/2018  às 08hs47 - Atualizado em 29/10/2018  às 10hs58

Saúde

Outubro também é mês de conscientização da psoríase

Campanha chama atenção para diagnóstico e tratamento da doença



Outubro vai além da prevenção para o câncer de mama. Ele também é o mês de conscientização sobre a psoríase. No mundo inteiro, o dia para a mobilização é 29. No Brasil, a Campanha “Vamos falar de psoríase?”, promovida pela Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD) ocorre durante todo o mês, com o foco no cuidado e em terapias mais atuais e eficazes para a melhora da qualidade de vida dos pacientes.


A psoríase é uma doença relativamente comum no Brasil. De acordo com uma pesquisa realizada pela SDB, a prevalência na população varia entre 1,10 e 1,50%. Ele é uma doença inflamatória crônica que pode afetar o corpo todo, mas joelhos, cotovelos, mãos, pés e o couro cabeludo são os locais mais acometidos.


Apesar da psoríase não ter cura, é possível fazer um controle e melhorar a qualidade de vida do paciente: “Felizmente, os tratamentos evoluíram bastante. Além dos medicamentos tópicos convencionais, como cremes, pomadas e xampus, indicados para os graus mais leves, existem outras possibilidades para a melhora o quadro do paciente. Em casos mais severos, a fototerapia e os medicamentos sistêmicos tradicionais e os injetáveis trazem  bons resultados”, afirma a Dermatologista, Dra. Paula Guglielmi.


Geralmente, a psoríase provoca lesões arredondadas, vermelhas e descamativas, que muitas vezes geram preconceito e acabam abalando psicologicamente as pessoas afetadas. As causas da doença ainda são desconhecidas, no entanto, é sabido que alguns gatilhos podem favorecer a atividade, entre eles, fatores emocionais, como estresse, traumas, fumo e algumas medicações.


Para fazer o diagnóstico adequado é necessário procurar a ajuda de um dermatologista: “ É muito comum as pessoas confundirem a psoríase com caspa, dermatite ou micose. Somente um especialista poderá fazer o diagnóstico correto e conduzir o tratamento adequado”, finaliza a especialista.


 


 


Colaboração: Fernanda Zampoli / Assessoria de imprensa


29/10/2018  às 08hs47