18/11/2017  às 12hs23

Polícia

Padre é indiciado por tentar adquirir fotos pornográficas de menores

Religioso deverá responder em liberdade pelo crime. Vítima é adolescente de 13 anos que frequenta a mesma paróquia, em São Joaquim


Polícia fez buscas na casa paroquial (Foto: Mycchel Hudsonn Legnaghi/São Joaquim Online)

Polícia fez buscas na casa paroquial (Foto: Mycchel Hudsonn Legnaghi/São Joaquim Online)

A Polícia Civil de São Joaquim, na Serra, indiciou um padre por tentativa de adquirir fotos pornográficas de menores de idade. O inquérito do caso foi concluído nesta sexta-feira (17) e entregue à Justiça, informou o delegado Diego Azevedo, responsável pela investigação.

Em depoimento à polícia no mês passado, o padre confessou ter mantido conversas de cunho sexual, mas disse que não sabia que a pessoa em questão era menor de idade.
 O religioso, que foi afastado das funções no município, deverá responder em liberdade pelo crime, cuja vítima é um adolescente de 13 anos que frequenta a mesma paróquia que o padre.

Investigação

O caso começou a ser investigado na primeira quinzena de outubro, depois de uma denúncia anônima feita à delegacia de São Joaquim, envolvendo o rapaz e outras pessoas que teriam conhecimento do crime. Conforme a apuração, o padre manteve conversas de teor sexual com o menor de idade em setembro deste ano por meio do Facebook, nas quais ele teria pedido imagens pornográficas do adolescente.

Entretanto, fotos do tipo não foram localizadas na perícia feita no celular do jovem e nos três computadores do indiciado, que foram apreendidos na casa paroquial por determinação judicial.

“Como não foram encontradas as imagens, o indiciamento foi por tentativa de adquirir fotos pornográficas de menor de idade”, explicou Azevedo.

A Polícia Civil ainda aguarda resposta de pedido de liberação de dados feito ao Facebook. O delegado disse também que, como a pena para o crime é de um a quatro anos de prisão, não cabe à polícia pedir a prisão preventiva do padre.

O crime pelo qual o padre foi indiciado está previsto no artigo 241, letra B, no Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA).

Com informações do G1


18/11/2017  às 12hs23