11/09/2017  às 09hs18

Geral

Pós tempestade, catarinenses pensam em deixar os EUA


Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

Catarinenses que vivem nos Estados Unidos deverão voltar para o Brasil depois da passagem do Furacão Irma pelo país. É o que constata o professor André Abreu, que viveu por muitos anos na região de Boston, retornou para Criciúma faz alguns anos e mantem contato permanente com a colônia brasileira na América do Norte.

“Sim, vários catarinenses, muitos aqui da região de Criciúma inclusive, estão cogitando voltar assim que possível, pois estão todos muito assustados com a violência desse furacão”, observa Abreu. Mas todos com os quais o professor vem mantendo contato estão bem. "Passam todos bem sim", confirma.

Conforme previsto, o Furacão Irma chegou na noite de sábado à costa sul dos Estados Unidos vindo do Caribe. Ele perdeu força ao alcançar o continente mas ainda assim apresenta ventos de 190 km/h e proporciona um rastro de destruição na região de Miami. A imprensa já fala em três mortes, e 1,7 milhão de pessoas estão sem energia elétrica.

“A previsão é que avance em direção à costa oeste da Flórida. Seis milhões de pessoas saíram de suas casas na fase de alerta. O governador chegou a dizer que se trata de uma tempestade mortal”, comenta Abreu. “Em certos pontos do litoral as ondas chegam a cinco metros”, completa.

O olho do furacão tem cerca de 40km, e o diâmetro total do fenômeno é de aproximadamente 700km, maior que todo o litoral da Flórida. 

 

Com informações do site Engeplus


11/09/2017  às 09hs18