27/07/2018  às 14hs33

Saúde

Primeira morte por gripe é registrada na região



A região registrou o primeiro óbito em decorrência da gripe. Um senhor de 72 anos, de Imbituba, faleceu após contrair o vírus H3N2. De acordo com o gerente regional de Saúde de Tubarão, Everson Barbosa Martins, ele era considerado um paciente que apresentava comorbidades – hipertenso, broncopata, diabético e que possuía insuficiência cardíaca. Segundo ele, o paciente estava internado no Hospital Nossa Senhora da Conceição.


Ainda segundo Everson, o óbito ocorreu na semana passada. “Não sei precisar quanto tempo o paciente ficou internado. A informação que recebemos é que ele procurou o hospital, foi diagnosticado com a gripe por H3N2 e foi imediatamente internado. Por se tratar de um paciente com diversas comorbidades, a situação se agravou, ele foi para a UTI e veio a óbito, infelizmente”, conta.


Os números de casos de gripe também aumentaram na região. Agora já são 45, segundo boletim divulgado pela Dive (Diretoria de Vigilância Epidemiológica) ontem. Santa Rosa de Lima registou o primeiro caso, de H3N2, e os números cresceram nos demais municípios que já vinham registrando casos de gripe.


Em Tubarão, já são 22 casos, sendo 10 de H1N1 e 12 de H3N2. Laguna é o segundo município da região com mais casos, sete no total, sendo três de H1N1, três de H3N2 e um ainda em análise. Capivari de Baixo registrou até esta semana quatro casos (um de H1N1 e três de H3N2). Em Imbituba, local do primeiro óbito, são três os casos, todos de H3N2. Os demais foram registrados em Jaguaruna (um de H3N2), Pescaria Brava (um de H1N1 e um de H3N2), Sangão (um de H1N1) e São Ludgero (dois de H1N1).


Prevenção e cuidados


Na semana passada, os números totais de casos de gripe pelo Influenza eram 36. “Os números estão subindo e infelizmente tivemos este óbito. Ainda estamos dentro do que pode ser considerado normalidade, mas não deixa de ser preocupante. Por isso alertamos a todos a manterem seus cuidados com higiene, evitar lugares fechados com aglomeração de pessoas, entre outros”, alerta Everson. “Na Regional de Saúde não possuímos mais as doses da vacina contra o Influenza e acredito que dificilmente os postos possuam. Mas quem puder procurar nos postos ou tiver condições de se vacinar na rede particular, é importante tomar todas as precauções”, pontua.


Com informações do Jornal Diário do Sul


27/07/2018  às 14hs33