17/06/2018  às 14hs37

Geral

Primeiras baleias-franca começam a chegar em Imbituba

A temporada reprodutiva da espécie vai até novembro, com pico de ocorrências em setembro.


Foto: Marcelo Farias Jr.

Foto: Marcelo Farias Jr.

Nessa sexta (15), uma baleia-franca adulta foi registrada na Praia do Rosa, em Imbituba. Foi a primeira avistagem com registro fotográfico nesta temporada. Na semana passada o Instituto Australis recebeu uma informação sobre a presença de baleia em Laguna, próximo à Ilha das Araras, porém não foi possível confirmar a espécie.

Há um mês, no dia 16 de maio, duas baleias franca foram avistadas no estado do Espirito Santo. Foi a primeira avistagem confirmada de baleia-franca em águas brasileiras na temporada 2018, e se tratava de uma mãe com filhote. A ocorrência dessas baleias no Espírito Santo no início da temporada reprodutiva não é anormal. Em outros anos já houveram avistagens por lá.

No entanto, a área de concentração reprodutiva da espécie no Brasil é no estado de Santa Catarina, mais precisamente na Área de Proteção Ambiental da Baleia Franca (APABF), onde realizamos o monitoramento da espécie desde 1982, relatou Eduardo Renault-Braga, biólogo do Instituto Australis (IA).

A temporada reprodutiva da espécie inicia com da chegada das primeiras baleias, mas a maioria dos indivíduos começam a permanecer nas enseadas a partir de da segunda quinzena de julho, sendo as avistagens iniciais geralmente tratando-se de fêmeas grávidas a procura de enseadas para parir seus filhotes.

Segundo Karina Groch, diretora de pesquisa do IA, é difícil estimar o número de baleias-franca que virá para o Brasil este ano, pois viemos numa série de 3 anos com números abaixo da média, em torno de 50 baleias, o que é atípico para a região, que de 2002 a 2013 tinha uma média de 109 baleias avistadas no auge da temporada, em setembro. Um estudo conduzido pelo IA em parceria com o laboratório Ecomega-FURG apontou que alterações climáticas globais podem estar influenciando o sucesso reprodutivo das baleias-franca no Brasil, por isso observamos flutuações na ocorrência da espécie.

O Instituto Australis irá iniciar o monitoramento das baleias franca a partir de terra no início de julho. Será realizado o monitoramento das praias localizadas na região central da APABF, e as informações sobre avistagens serão divulgadas nas nossas redes sociais e no mapa de avistagens no site.

Desde 2015 o Instituto Australis é a instituição mantenedora do Programa de Pesquisa em Conservação da Baleia Franca. Saiba mais em www.baleiafranca.org.br.

Colaboração: Tuliana Rosa


17/06/2018  às 14hs37