26/04/2018  às 07hs25

Saúde

Psicologia auxilia no combate ao tabagismo

De acordo com a Organização Mundial da Saúde – OMS, aproximadamente cinco milhões de pessoas morrem anualmente vítimas do uso do tabaco, e estudos apontam que até 2030 essa estimativa poderá dobrar, vitimando mais de dez milhões de pessoas


Foto: Divulgação internet

Foto: Divulgação internet

Pesquisas apontam que o cigarro é uma das maiores causas de doenças graves e pode levar até a morte. De acordo com a Organização Mundial da Saúde – OMS, aproximadamente cinco milhões de pessoas morrem anualmente vítimas do uso do tabaco, e estudos apontam que até 2030 essa estimativa poderá dobrar, vitimando mais de dez milhões de pessoas.

Apesar dos alertas sobre os danos nocivos do cigarro, fumantes enfrentam dificuldades na luta contra o tabagismo. Apesar da vontade de acabar com o vício, muitos não conseguem. Mas, a psicologia pode ser uma grande aliada nesses casos.

“O tabagismo é uma doença crônica de dependência de nicotina, que precisa ser tratada adequadamente e com profissionais devidamente capacitados a partir do tratamento medicamentoso associado ao acompanhamento psicológico”, alerta a psicóloga Gabriela Fernandes.

Ela ainda pontua que existe os usuários enfrentam dificuldade em abandonar o vício por motivos emocionais. “O cigarro, na maioria das vezes, tem um papel importante na resolução de situações de conflito, manejo de ansiedade, controle de peso e produtividade no trabalho. Há inúmeras situações que mesmo de forma ilusória, o cigarro tem significado importante na vida de muitas pessoas”, explica a psicóloga.

Gabriela esclarece que o tratamento para parar de fumar costuma ser de curta duração, com um número limitado de sessões e focado na redução gradual de cigarros e no enfrentamento dos sintomas de abstinência para desfazer os mecanismos comportamentais relacionados ao hábito de fumar. “Consiste também em administrar emoções consequentes do processo de parada e prevenção de recaídas”, acrescenta a profissional.

“Vale lembrar que antes de iniciar o tratamento, o paciente passa por avaliação da dependência da nicotina e do estado motivacional para abandonar o cigarro. Essa etapa  é muito importante para traçar um tratamento adequado às necessidades do paciente potencializando os resultados da terapia”, informa Gabriela.

Abandonar o cigarro traz inúmeros benefícios, independente da idade ou sexo. Além disso, é garantia de uma vida mais longa, saudável e feliz. “Não hesite, busque ajuda para ter sucesso nessa missão de abandonar esse vício tão maléfico. A psicologia é fundamental neste processo!”, conclui a psicóloga.

Colaboração: jornalista Stéphanie Piava


26/04/2018  às 07hs25