Flávia Lole
Flávia Lole Arquitetura e Decoração

Olá, meu nome é Flávia, sou natural de Orleans onde vivo até hoje com minha família. Formada em arquitetura e urbanismo pela Unisul desde 2005 e pós graduada em Gestão empresarial pela FGV desde 2010, trabalho na empresa da família, a LCL design. Meu dia a dia é envolvido pela arquitetura de interiores e decoração além do lado administrativo que a empresa exige.Também faço parte da diretoria estadual do Núcleo Catarinense de Decoração.

Interiores sempre foi meu sonho, e hoje além de trabalhar com projetos de clientes consigo me inspirar em mostras e feiras nacionais e internacionais além de escolher as peças que vão compor os showrooms das nossas lojas.

Através da coluna vou manter o público conectado com as últimas tendências e novidades desse mundo atraente da arquitetura e decoração.

26/10/2016  às 15hs58

Que tipo de “pedra” eu devo usar?



É uma dúvida recorrente a todos os consumidores e que acaba causando dúvidas na hora de escolher os tampos ou acabamentos das áreas molhadas como cozinha, banheiros ou lavanderias num projeto de interiores.


Vários nomes surgem ao se procurar essas opções: Granito, inox, azulejo, mármore composto (Silestone, Marmoglass, Techinostone, Limestone, Quartzo), Acrílicos (Corian, Hi-macs e Staron), Nanoglass, Madeira, Concreto, Epóxi, Pastilhas…enfim, poderíamos continuar a lista, porém alguns são mais requisitados pela maioria dos consumidores, sejam por suas características ou preço.


Abaixo uma seleção baseada na minha experiência profissional. Espero que seja esclarecedor e que ajude vocês a fazerem as melhores escolhas!!!


Granito


O granito é uma rocha natural de baixo custo, de fácil limpeza e resistente quanto a impacto e riscos, possuindo uma diversidade de cores que oportunizam diferentes acabamentos. Porém suas desvantagens existem, e por ser proveniente da natureza não mantém uma homogeneidade de acabamentos e cores, além de ser mais susceptível a umidade que as opções industrializadas, com o uso corrente oportuniza desgastes, sendo também frágil a ácidos que podem retirar o brilho da pedra ou criar ferrugem.


Mas saliento que o custo benefício acaba tornando o granito muito utilizado.




Mármore


Pedra natural amplamente utilizada há anos, confere características estéticas muito valorizadas por profissionais. Geralmente utilizadas em detalhes especiais nos projetos devido ao seu refinamento.


Os mármores possuem um custo relativamente alto além de precisarem de um maior cuidado pois são porosos e não resistentes a manchas.




 


Porcelanato


A bancada de porcelanato é uma opção ainda menos conhecida mas que resolve a vida de quem procura a resistência do granito com o visual das pedras mais sofisticadas, sem pagar tão caro quanto pagaria nessas últimas. Elas são feitas com grandes peças de porcelanato, de maneira semelhante às bancadas de granito, mas com a vantagem de terem aspecto mais liso e várias opções de cor. Não é uma bancada revestida com peças de porcelanato, como se pode imaginar a princípio. A desvantagem em relação ao Silestone e ao Corian, por exemplo, é a presença de emendas, assim como no granito e no mármore, que no entanto podem ficar bem sutis com uma boa execução.






 


Marmoglass e Nanoglass


Na verdade os dois são mármores industrializados produzidos a partir de pó de mármore e vidro. São duros e resistentes a riscos tendo um brilho diferenciado em relação ao mármore natural.


A principal diferença entre eles está na composição durante a fabricação, sendo que o Marmoglass lasca com mais facilidade pois é feito uma fina película de vidro como acabamento, enquanto que no Nanoglass o vidro já está incluso de forma uniforme e homogênea, o que possibilita melhor acabamento na horas dos cortes de meia esquadria por exemplo. O Nanoglass é praticamente uma evolução tecnológica do Marmoglass.


Colocados lado a lado em se comparando o acabamento na cor branca, o Nanoglass é consideravelmente mais branco.


O custo benefício deste material está entre os granitos e mármores artificiais.



Nanoglass branco



Marmoglass branco



Nanoglass branco



Nanoglass branco


Mármore Composto (quartzos artificiais)


É uma mistura industrializada, feita de quartzo (mineral natural) e resinas sintéticas, sendo que cada fornecedor tem o seu formato de produção. No mercado aparecem diversos nomes de acordo com as marcas sendo que Silestone, Quartzo Stone e Corian são alguns deles.


Suas vantagens são enormes, já que o material possui um alto nível de dureza o que lhe confere alta resistência, inclusive a bactérias. O material é não poroso o que o torna resistente a manchas, oferecendo ainda uma aparência uniforme e uma diversidade enorme de cores. Oferece também grandes possibilidades criativas, como cubas moldadas, escorredores e outros acessórios embutidos na bancada.


Vale salientar que o Corian ainda possui apelo ecológico pois tem em sua composição materiais recicláveis, além de oferecer inúmeras possibilidades de inclusive na confecção de móveis e formas inusitadas, que iluminadas conferem personalidade aos projetos abusando da translucidez. Este material é mais sensível a riscos que o Silestone, embora possa ser reparado e voltar a ser como novo.


Esses materiais tem enormes vantagens em relação as pedras naturais, mas também suas desvantagens em relação ao Dekton ou Neolith já que são vulneráveis a choque térmico e riscos além de não ser recomendadas em áreas externas em função dos raios ultravioletas.


Seus valores são elevados pois são importados.



Silestone



Silestone



Quartzo stone



Quartzo stone



Corian



Corian translucido



Corian


 


Dekton e Neolith


Estas são novas pedras industrializadas, também compostas por matérias primas naturais e resinas, entretanto, são prensadas através de um processo de alta tecnologia de ultra compactação e de sinterização (processo de aglutinação de um conjunto de partículas submetidas a temperaturas elevadas com finalidade de obter uma peça sólida) que confere ao produto final uma superfície ultra compactada e super resistente com propriedades únicas para diversas aplicações como uso em pisos, fachadas, móveis e bancadas de cozinhas ou banheiros. Possuem uma enorme gama de cores e acabamentos.


Produtos que na média ficam 20% mais caro que as outras pedras industrializadas mas que conferem diferenciais importantes, pois não riscam, não são porosas, não mancham e resistem a panelas quentes. Finalmente um material basicamente perfeito!!!



Dekton



Dekton



Neolith



Neolith


 


Aço inox


Imprescindível nas cozinhas industriais, o aço inox é o material ideal para quem ama de cozinhar. A resistência ao calor, durabilidade e higiene do produto são notáveis, e podem dar origem a outras peças e acessórios, como cubas, lixos e escorredores.


As desvantagens do inox consistem no preço e na facilidade de riscos.


O aspecto das bancadas de aço inox é também homogêneo e com a cuba em uma única peça, o que impede o acúmulo de sujeira. O preço varia de acordo com a espessura e qualidade do material, ficando maior quanto mais resistente e bem acabada for a peça.




Revestimento cerâmico


Revestir a bancada com revestimento cerâmico é uma alternativa econômica e com muitas opções de cor e desenhos, porém não é aconselhada para locais com muito uso, especialmente com manuseio de alimentos. Isso porque, assim como na parede, a cerâmica tem rejuntes, e esses rejuntes são porosos, podendo ficar escurecidos com o tempo e também absorverem a sujeira.




 


Cimento ou concreto


As bancadas de concreto têm visual impactante e diferenciado. Sua execução é prática, o visual é homogêneo e seu efeito é rústico, conferindo uma frieza ao ambiente que pode ser uma vantagem ou desvantagem, dependendo do que se pretende.


Pode ser bem resistente, em todos os sentidos, porém para isso precisa ser bem executada e receber acabamento de proteção.




26/10/2016  às 15hs58