29/01/2021  às 16hs18

Saúde

Rádio Guarujá quer saber: você tomará a vacina contra a Covid-19? Edvan Della Giustina responde


Foto: Divulgação

Foto: Divulgação


Uma pesquisa realizada em sete das dez maiores cidades de Santa Catarina apontou que um em cada quatro catarinenses diz que não vai tomar a vacina contra a Covid-19.


Ao todo, os que responderam 'não' à pretensão de tomar a vacina somaram 24,4%, contra 63,6% de quem respondeu 'sim'. O estudo ainda contabilizou 6,6% de 'não sabe ou não responderam' e 5,4% de 'depende'.


A Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo de SC (Fecomércio/SC), que realizou o estudo, vê os dados com preocupação. Segundo a entidade, é um índice alto de pessoas que não querem tomar a vacina em relação ao necessário para que a população esteja protegida como um todo.


A pesquisa foi realizada entre 26 de dezembro e 12 de janeiro. A coleta de dados ocorreu por telefone considerando consumidores das cidades de Blumenau, Chapecó, Criciúma, Florianópolis, Joinville, Lages e Itajaí.


Tendo isso em vista, a Rádio Guarujá entrevistou, nesta sexta-feira, dia 29, pessoas que tem e que não tem interesse na imunização contra a Covid-19. O diretor-administrativo Edvan Della Giustina, da Fundação Hospitalar Santa Otília (FHSO), de Orleans, foi convidado para dar sua opinião a respeito do assunto e fez um apelo para que a população participe da campanha nacional de vacinação.


“É um ato de responsabilidade com o próximo”, defendeu. Segundo ele, boa parte dos funcionários da linha de frente já foram vacinados. Na oportunidade, o administrador relatou que a disseminação de notícias falsas atrapalha o trabalho dos profissionais da saúde, ressaltou que as vacinas são confiáveis e que passaram por diversas fases de testes e que, tendo isso em vista, as pessoas devem buscar a imunização assim que possível.


Conforme Edvan, os profissionais do hospital são afetados psicologicamente, pois assumem os riscos de se contaminar e colocar a sua vida em risco ao atenderem pacientes que contraíram o vírus. “Tivemos situações em que, no meio do seu turno de trabalho, funcionários nossos pararam e choraram, por toda essa situação que estão vivendo”, declarou.


O diretor contou também que a FHSO recebeu uma proposta do Governo do Estado para habilitar 18 leitos, tendo a opção de aceitar, abrir menos leitos ou negar. “Nós aceitamos 100% da proposta, pois entendemos que a Fundação Hospitalar Santa Otília tem uma missão, que é servir a população”.


A visita a pacientes internados na FHSO estão suspensas temporariamente e somente poderão ser realizadas por recomendação médica ou algum caso especial. “Muitas pessoas ficam irritadas com isso, gritam com os funcionários, mas o mínimo que pedimos é o respeito e compreensão”, solicita.


Confira a entrevista completa neste link!


29/01/2021  às 16hs18