17/05/2017  às 10hs28

Geral

Rodovia Ivane Fretta tem 79% do aterro pronto, em Tubarão

A terraplanagem, etapa mais complexa da obra, está hoje 79% concluída


Foto: Guilherme Simon/DS

Foto: Guilherme Simon/DS

A falta de resolução em relação às desapropriações de dois terrenos não impede o avanço dos trabalhos da rodovia Ivane Fretta Moreira, que fará o acesso norte de Tubarão e segue dentro do cronograma.

Quem passa pelo bairro de São Martinho pode verificar que os trabalhos de terraplanagem já chegaram ao local. De acordo com o secretário da Agência de Desenvolvimento Regional de Tubarão, Nilton de Campos, a terraplanagem, etapa mais complexa da obra, está hoje 79% concluída.

“Já foram iniciados também os trabalhos no sentido oposto – ou seja, de São Martinho para Tubarão. Em breve será feita uma vistoria no local para acompanhar mais de perto o andamento da obra”, revela.

Nilton aponta que, em relação às desapropriações pendentes em função de proprietários de terrenos terem buscado a via judicial para questionar o valor do pagamento, a decisão da Justiça ainda é aguardada.

“O importante, porém, é que os trabalhos em nenhum momento foram paralisados, pois há outras frentes de trabalho nas quais as obras seguem. Está tudo dentro do cronograma”, aponta.

A previsão do governo do Estado é concluir a obra até o fim deste ano. Desde que a obra foi lançada, o governador Raimundo Colombo apontou que o aterro da rodovia, em função do solo no local, seria a parte mais demorada e também mais cara. Já foram colocados mais de 1 milhão de metros cúbicos de aterro no local e a etapa chega à fase final.

Foram finalizadas também algumas pontes que fazem parte da rodovia.

A obra

A rodovia terá 4,5 quilômetros de extensão, que vão ligar a BR-101 ao bairro São Martinho, na SC-370. A Ivane Fretta Moreira terá quatro faixas de rolamento de 3,5 metros cada, ciclovia com 2,5 metros nos dois lados, além de canteiro central, viaduto próximo à SC-370, trevos e uma ponte de 60 metros de comprimento. A construção iniciou em agosto de 2014. Informações do Jornal Diário do Sul.


17/05/2017  às 10hs28