07/06/2018  às 14hs51

Educação

Unesc amplia ações de internacionalização com novo projeto



A Unesc tem passado por um reposicionamento institucional também quando o assunto é internacionalização. O trabalho vem sendo feito desde 2017 por professores e pesquisadores, e culminou na política de internacionalização da Universidade, que começa a ser colocada em prática ainda este semestre. Um dos reflexos é o novo direcionamento do Escritório de Relações Internacionais, que vai atuar no sentido de fortalecer o que já era feito e ampliar ações de ensino e pesquisa com intercâmbio de alunos, professores e de tecnologia. 

Para liderar o novo escritório foi empossado na noite desta terça-feira (5/6), o professor doutor Emílio Streck, que atua como docente nos cursos de Nutrição e Odontologia e nos PPGs (Programas de Pós-Graduação) CS (em Ciências da Saúde) e CEM (Ciências e Engenharia de Materiais) e pesquisador no Laboratório de Neurologia Experimental. O novo projeto, junto com setores da Universidade como o Instituto de Idiomas, vai receber suporte às ações da política de internacionalização da Unesc. 

Segundo Emílio, entre as ações iniciais está uma análise dos acordos no sentido de levantar possibilidades de ampliação, levando em consideração os países estratégicos para cada área do ensino e da pesquisa. “O objetivo é fortalecer o que já temos e ampliar as possibilidades. O Escritório de Relações Internacionais vai ajudar a Universidade a colocar em prática a política de internacionalização. Para isso vamos trabalhar em conjunto com comunidade acadêmica, incluindo os PPGs. Além de consolidar a internacionalização da graduação, buscaremos um fortalecimento também na pós- graduação”.

A reitora da Unesc, Luciane Ceretta, afirma que o reposicionamento do Escritório de Relações Internacionais ampliará as parcerias acadêmicas da Universidade com os demais países. “O objetivo é que nossos alunos de graduação e pós-graduação, bem como nossos professores, tenham muitas possibilidades de intercâmbios, produção de conhecimento em rede e viagens de estudos. A internacionalização já é um diferencial da Unesc e se tornará ainda maior nos próximos anos”, enfatiza Luciane.

O vice-reitor, Daniel Preve, comentou que esta nova visão sobre a internacionalização pede investimentos diferentes. Segundo ele, essa nova cultura vai fortalecer ainda mais o desenvolvimento da ciência, já que ela precisa de caminhos amplos além do nosso território nacional. 

Sobre a Política de Internacionalização

Para a pró-reitora Acadêmica da Unesc, Indianara Becker, o objetivo da política de internacionalização é desenvolver ações estratégicas que visem fortalecer as relações com instituições internacionais, inserindo definitiva e integralmente a Unesc no cenário internacional do ensino, da pesquisa e da extensão de excelência.

“As ações irão ampliar os acordos internacionais (a Unesc possui tratados do gênero com instituições de ensino e pesquisa de 19 países) possibilitando uma formação com olhar para um mundo globalizado. A internacionalização constitui uma parte importante da experiência formativa dos alunos que possibilita a troca e o convívio com a diferença e com o desconhecido” afirma.


Fonte: AICOM - Assessoria de Imprensa, Comunicação e Marketing


07/06/2018  às 14hs51