10/01/2019  às 06hs51

Geral

Unisul deve firmar parceria inédita com a Petrobras


Foto: Divulgação

Foto: Divulgação


A Unisul e a Petrobras devem, em breve, começar uma parceria inovadora e inédita. A universidade foi procurada pela empresa para que pesquisas possam ser feitas em seus laboratórios. O objetivo é desenvolver um catalisador para a produção de um polietileno especial para a confecção de cabos navais. Esta tecnologia seria a primeira em todo o mundo.

A criação do catalisador foi idealizada pelos professores Richard Faraco Amorim, coordenador do curso de Engenharia de Petróleo da Unisul, e Leandro dos Santos Silveira, enquanto trabalhavam como consultores para a Petrobras, entre 2008 e 2012. Para que a parceria seja concretizada, os laboratórios da Unisul precisam ser credenciados pela Agência Nacional de Petróleo (ANP). 

A expectativa é de que, até o fim de março, todas as etapas do credenciamento já estejam finalizadas. “Iremos aproveitar a ocasião para credenciar dois laboratórios: um de petroquímica e outro de biocombustíveis. A ideia é colocar os alunos nestes laboratórios para desenvolverem os projetos de pesquisa junto com os professores”, ressalta o coordenador.

O catalisador é a matéria-prima que faz com que a nafta, um derivado do petróleo, se transforme em plástico. “O Brasil não possui tecnologia de catalisadores. A Petrobras quer ser a primeira empresa a desenvolver um catalisador brasileiro, em nível industrial, e que pode revolucionar o futuro da petroquímica no país”, afirma Richard.


As vertentes da Engenharia de Petróleo


Segundo o professor Richard, houve uma grande mudança desde que o petróleo começou a ser pesquisado no país. Com isso, novas vertentes surgiram e hoje são possibilidades em crescimento no mercado de trabalho. São elas: petróleo, gás natural, biocombustíveis (bioálcool, biodiesel, biogás) e petroquímica (plásticos).


 


Com informações do site Diário do Sul.


10/01/2019  às 06hs51