09/12/2020  às 12hs12

Esportes

09/12 - Especial Mahicon Librelato: entrevista com o narrador Jotha Del Fabbro


Foto: Divulgação

Foto: Divulgação


Mahicon Librelato é um dos orleanenses mais honrosos. Aos que tiveram o privilégio de conhecer e conviver com ele, um fato é unanimidade: seu brilho não se restringia aos campos. O jovem prodígio era um ser humano excepcional. Além do talento fora da curva, a humildade e o sorriso sempre presente no rosto do atleta também eram dignos de nota.


A Rádio Guarujá realiza uma série de entrevistas visando prestar uma homenagem ao "filho de dona Maurina", como era carinhosamente chamado. Mahicon faleceu precocemente, há 18 anos, em 28 de novembro de 2002, com 21 anos de idade. Se vivo, hoje teria 39 anos e, sem dúvidas, caso fosse seu desejo, já teria feito história no futebol internacional e defendido a Seleção Brasileira em Copas do Mundo e Olimpíadas.


O entrevistado desta quarta-feira, dia 9, foi o criador do bordão "o filho de dona Maurina", o narrador Jotha Del Fabbro. Durante a entrevista, ele refez a narração do gol que mais o marcou e também falou sobre o talento e comprometimento do atleta, que o tornam único. "Excepcional e fantástico" foram as palavras utilizadas por ele para descrever Mahicon. "O guri era gente fina, era profissional, dedicado ao seu trabalho. São poucos. Muitos só vêm pelo dinheiro. E esse menino era diferenciado. Ele está fazendo e vai fazer muita falta ainda".


Segundo o narrador, depois da morte do craque, não apareceu outro jogador que se assemelhasse em Santa Catarina. "Não tem! Vai demorar quanto tempo? Quanto tempo se demorou para se descobrir, para se lapidar um craque de futebol como o craque Mahicon Librelato?", ressaltou. "No estado de Santa Catarina, não apareceu ninguém que chegasse aos pés, às chuteiras do Mahicon Librelato", acrescentou.


Confira a entrevista completa neste link!


09/12/2020  às 12hs12
...