20/09/2021  às 18hs47

Saúde

Samu de Orleans não adere a paralisação


Foto: Bruno Bernardo Croceta

Foto: Bruno Bernardo Croceta


Profissionais de Criciúma e Araranguá, ligados ao Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU), deflagraram greve por tempo indeterminado a partir do último, dia 7.  Os trabalhadores reivindicam reajuste salarial de 18,22% acumulado nos últimos quatro anos, além do pagamento de férias, Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) e melhorias nas condições de trabalho. E para falar sobre a situação e como estão os serviços prestados pela entidade em Orleans a Rádio Guarujá entrevistou nesta segunda-feira, dia 20, a coordenadora do SAMU, Karla Pikler Cunha. Que na ocasião explicou porque a Unidade de Orleans não vai aderir a paralisação. Confira neste link!


20/09/2021  às 18hs47
...